terça-feira, 17 de novembro de 2009

MULTIMISTURA

Boa noite!!!
Essa semana eu estou inspirada! Tenho tantas coisas para postar, mas sempre tem alguma coisinha que me dá uma "coceirinha" e eu acabo postando primeiro!!!
Bom, acabei de receber um e-mail da Asbran (Associação Brasileira de Nutrição) comentando sobre o último posicionamento da multimistura.
Pra quem não sabe, a multimistura, segundo o site www.multimistura.org.br é uma farinha farinha composta de:
- 70% de farelo (arroz e ou trigo) tostado;
- 15% de pó de folhas (mandioca, batata-doce, etc.);
- 15% de pó de sementes (gergelim, abóbora, linhaça, girassol).
Se tiver pó de cascas de ovo, a mistura fica assim:
- 70% de farelo tostado;
- 10% de pó de folhas verde-escuras;
- 10% de pó de sementes;
- 10% de pó de casca de ovo.
Usar uma colher de sopa por pessoa, por dia, dividida nas três refeições. Serve para todas as idades. É um alimento, não um medicamento. É a multimistura básica. Contém um concentrado de minerais e vitaminas. Funciona como o sal: um pouco todos os dias. É importante que estejam discriminados os ingredientes e que contenha:
- 70% de farelos;
- 15% de pó de sementes;
- 15% de pó de folhas verde-escuras, sendo a principal a da mandioca.

A coisa "pega" a partir do momento que o Ministério Público Federal (MPF) solicitou ao Conselho Federal de Nutricionistas (CFN) a revisão de seu parecer sobre o uso da multimistura. O CFN revisou e ratificou sua posição com base nos recentes estudos científicos e na legislação estabelecida ANVISA e concluiu que não existem evidências científicas de que este produto previne, trate ou cure doenças e que é vedada a indicação do produto para suprir deficiências nutricionais.
Multimistura: A Posição do CFN
No início da década de 90, houve a mobilização da comunidade científica na tentativa de avaliar a eficácia do produto. Alguns pontos podem ser destacados:
1 - A quantidade de "multimistura" utilizada na alimentação, pouco contribui para a melhoria da qualidade nutricional da dieta.
2 - Em relação ao pó da casca do ovo destaca-se que, embora seja um produto rico em cálcio, não há pesquisas conclusivas quanto a biodisponibilidade deste elemento.
3 - Foi observado processo de rancificação em amostras do produto, em decorrência do seu conteúdo lipídico e da carga microbiana indesejável (contaminação por bactérias) que se apresenta muitasvezes em níveis inaceitáveis para o consumo humano;
4 - Várias pesquisas experimentais com animais e crianças de baixo peso constataram que a utilização do produto não foi capaz de promover a recuperação do peso dos usuários.

Ou seja: não podemos apenas olhar para um lado da situação! Apesar dos esforços da Pastoral da Criança em divulgar e utilizar a multimistura, estudos científicos controlados não comprovaram a eficácia do produto. Sempre que temos um grande alarde de alguma coisa em nossa sociedade, estudar, procurar avaliar com calma todos os aspectos envolvidos é extremamente importante!
Não existe ainda produto milagroso com custo baixíssimo e de fácil conservação que simplesmente cure a desnutrição... ou será que ainda não inventaram?????

Nenhum comentário:

Postar um comentário