sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Rabanada Light para o final do ano

Lógico que o último post do ano tem que ter tudo a ver com Natal e Ceia de Ano Novo né????????
Descolei uma receitinha amiga de rabanada light, pois afinal das contas rabanada é tuuuuuuudo de booooom e quem está de olho no peso e não está pensando em começar a dieta apenas em 2011 pode se deliciar com essas belezinhas que podemos comer do café da manhã à ceia noturna.... ê laiá.... 
Vamos à receitinha???


RABANADA LIGHT

- 07 fatias de pão de fôrma light ou zero açúcar (Plus Vita Zero: é bom!); 
- 01 xícara de chá de leite desnatado;
- 03 colheres de sopa de adoçante culinário (Linea Forno e Fogão: excelente adoçante!) e depois mais 03 colheres de sobremesa de adoçante culinário;
- 01 colher de chá de essência de baunilha;
- 01 ovo;
- 03 colheres de sopa de água;
- 01 colher de sopa de margarina light para polvilhar;
- ½ xíc. (chá) de leite em pó desnatado (Itambé desnatado em pó: recomendo!);
- 01 colher de sobremesa de canela em pó.
 
Corte as fatias do pão de forma na diagonal, formando dois triângulos com cada fatia. Reserve.
Misture o leite fluido, as 03 colheres de sopa do adoçante e a baunilha e reserve.
Bata ligeiramente o ovo e misture com a água. Reserve.
Passe o pão no leite e, em seguida, no ovo batido. Arrume as fatias numa fôrma untada e leve ao forno preaquecido a 180°C por oito minutos. Importante: vire as rabanadas na metade do tempo para dourar os dois lados!!!
Misture o leite em pó, a canela e o adoçante (03 colheres de sobremesa) até obter uma farofinha homogênea e polvilhe as rabanadas.
E pronto!!! É só se jogar e comemorar o final do ano!!!!
Rendimento: 07 fatias de 100 calorias.
Na versão tradicional, temos cerca de 150 calorias por fatia... boa economia!!!!!!!!

Bom Natalzão para todos e um começo de 2011 liiiindo!!!!!!!!
Sucesso para todos!!!!

Abraços.....

Caralluma fimbriata: comercialização proibida! Ichhhhiiiiii....

Opassssss!!!!
Gente, quase último post de 2010 hein???? Estou indo viajar ainda esse final de semana, só volto em 2011 e espero que o retorno seja com notícias mais bacanas do que essa da Caralluma... poxa, não vou negar que a fitoterapia está crescendo em ritmo aceleradíssimo no Brasil... nós nutricionistas podemos prescrever alguns fitoterápicos e os mesmos realmente nos auxiliam no tratamento da perda de peso dos pacientes....
Só que existe um porém: infelizmente a coisa não funciona tão simples assim... enquanto existem pessoas que procuram profissionais da saúde para um tratamento mais adequado, uma opinião mais certeira sobre o que tomar e o que não tomar, temos nas farmácias e casas de produtos naturais a venda de tais fitoterápicos cuja prescrição não é obrigatória.

Olha que coisa louca: a legislação regulamentada pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) deixa claro que somente médicos podem prescrever aos pacientes fitoterápicos como Centella asiática e Ginkgo biloba... e sinceramente, quem tem dificuldades de fazer a autoprescrição destes compostos????? É fácil encontrar na farmácia tanto a Centella como o Ginkgo....

E com a Caralluma a coisa não foi muito diferente: a mídia chegou CHEGANDO com a Caralluma, indicando inclusive a posologia em revistas e sites da internet... ou seja: a autoprescrição e consumo acaba sendo completamente desenfreado.... ao invés do consumo ser através de prescrições médicas e de nutricionistas e manipulação da Caralluma ser através de farmácias de manipulação, a compra "fácil" do produto torna o mesmo em grande evidência e totalmente passível de superdosagens.... 

Deixo abaixo o texto de uma reportagem sobre a proibição da Caralluma do site http://www.jusbrasil.com.br/, que realmente reforça o que eu estou falando sobre consumo desenfreado do produto: 
"A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a venda, importação, fabricação ou manipulação da Caralluma fimbriata, substância que vinha sendo divulgada como emagrecedor natural.
A Anvisa alerta que, até o momento, nenhum produto à base de Caralluma é regularizado e que não há comprovação de sua segurança e eficácia. A agência recomenda que as pessoas suspendam imediatamente o consumo do produto. O alerta à população sobre os riscos de se consumir produtos de origem e efeitos desconhecidos será intensificado.
Autoriza, ainda, que equipes de vigilância sanitária dos estados e dos municípios possam ir a lojas e farmácias e retirar o produto das prateleiras. Segundo a Anvisa, até que haja uma decisão sobre o uso da Caralluma no mercado brasileiro, os produtos apreendidos ficarão guardados em embalagens lacradas."

Em 2007 foi publicado um artigo científico sobre o uso da Caralluma na supressão do apetite (Kuriyan, et al, 2007); ou seja, não podemos generalizar e dizer que o produto é placebão!!!!!!!! O estudo foi feito por pesquisadores indianos, com grupo Caralluma e grupo controle, randomizado e duplo cego; ou seja: é uma das melhores formas de você estudar a eficácia de um produto. Na Índia, a Caralluma é bem conhecida e usada pelas tribos locais como supressora de apetite.  RESUMO DA NOVELA: o estudo foi feito por 60 dias, sendo que houveram diferenças significativas na circunferência da cintura e níveis de fome.

Bacana ou não, por enquanto não podemos prescrever... só espero que a fiscalização de fitoterápicos prontos para venda no Brasil se intensifique e que desta forma possamos atuar de forma mais consciente e adequada...

Fontes:

Kuriyan R, Raj T, Srinivas SK, Vaz M, Rajendran R, Kurpad AV. Effect of Caralluma fimbriata extract on appetite, food intake and anthropometry in adult Indian men and women. Appetite. 2007 May;48(3):338-44.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Pirâmide Alimentar para Pacientes de Cirurgia Bariátrica

Boa tardeeee!!!
Contagem regressiva para o final do ano, não é mesmo??? Férias chegando, vontade de viajar.... mas ANTES nada como mais uma novidade: ATÉ QUE ENFIM APARECEU (oficialmente) UMA PIRÂMIDE ALIMENTAR PARA OS PACIENTES DE CIRURGIA BARIÁTRICA!!!
Na verdade existem algumas versões de pirâmides "perdidas" por aí, mas pela primeira vez a revista científica Obesity Surgery publicou agora em 2010 uma versão de pirâmide para pacientes que se submetem à cirurgia bariátrica. Obrigada Dra.Violeta Moizé da Universidade de Barcelona (Espanha)!!!
Eu bem me lembro que, quando comecei essa jornada de atender pacientes bariátricos, até pensei em colocar na minha humilde salinha uma pirâmide alimentar, daquela que as nutris estão beeeeem familiarizadas e que a Sônia Tucunduva nos fez o favor de adaptar a bonitinha para a população brasileira.
Mas ao olhá-la já pensei na hora: "ops, isso não vai dar certo... carboidratos na base da pirâmide para um paciente com um estômago do tamanho de um dedão"???? Tsc, tsc... e logo descartei totalmente a possibilidade de ter esse tipo de ferramenta para auxiliar no atendimento dos pacientes... ficamos apenas no "gogó", mas agora a vida pode oficialmente mudar: 

 Como eu acabei de dizer, nas bases da pirâmide, bem diferente da pirâmide alimentar clássica adaptada para a população brasileira (também encontrável aqui no blog), se encontram os suplementos (importantíssimo tomar regularmente os polivitamínicos, além de outros suplementos que os profissionais julguem necessário) e as proteínas: carnes, leite, ovos, feijão, queijos peixe... consumo de 4 a 6 porções diárias. 
Em contrapartida, os carboidratos (pães, massas, arroz, batata, cereais matinais) se encontram láááá no topo da pirâmide, pois são fontes primárias de energia.... e vamos combinar que o paciente operado tem energia de sobra para gastar, certo???? O que a gente quer é a perda de massa adiposa e não de massa muscular... por isso que a atividade física e a ingestão de proteínas estão na base da pirâmide!!! Perda de peso saudável! 
Essa pirâmide é assunto para mais de um post, com certeza!

Mas vamos por partes... estamos no final do ano, estou cansadérrima, preciso de férias, renovar minhas energias para poder trazer boas novidades aqui pro blog... 

Fonte:
Moizé VL, Pi-Sunyer X, Mochari H, & Vidal J (2010). Nutritional Pyramid for Post-gastric Bypass Patients. Obesity Surgery, 20 (8), 1133-41.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Bypass Gástrico tem o melhor custo-benefício no tratamento da obesidade mórbida

Oiessss!!!
Que chuvaaaaaaaaaaaaa!!! Nossa, achei que nunca mais chegaria a lugar nenhum!!!! Minha nossa senhora!!! O pior é que em São Paulo a chuva vem sempre perto da hora do trânsito... pelo menos cheguei! E não só cheguei como também li este e-mail que eu recebi sobre cirurgia bariátrica e achei muuuuito bom! Por isso resolvi replicá-lo aqui; este e-mail foi recebido pela equipe Medical Services da Sanofi Aventis.

Olha só as novidades sobre cirurgia bariátrica!!!! Reportagem em itálico, comentários no final dos parágrafos!
A cirurgia bariátrica de bypass gástrico é a forma mais barata e mais eficaz de tratar a obesidade mórbida, segundo estudo canadense apresentado esta semana no Encontro da International Society for Pharmacoeconomics and Outcomes Research, nos Estados Unidos. De acordo com os pesquisadores, essa intervenção oferece, para as pessoas excessivamente obesas, benefícios em termos de custos por ano de vida e em qualidade de vida. >>> realmente eu acredito muito nisso! Vocês sabiam que a assistência médica para adultos de meia idade com IMC superior a 40 kg/m² pode ser o dobro das pessoas com peso considerado normal???? Pois é, com isso percebemos que o paciente obeso que faz a cirurgia não vai morrer de infarto, derrame, gastar muito dinheiro do SUS com remédios para hipertensão, diabetes, colesterol alto.... fora que o paciente operado não vai roncar, ter dores na coluna, nos joelhos, falta de ar na atividade física... são tantos fatores que deixam de existir!!!!
Os pesquisadores da Universidade McMaster avaliaram um banco de dados do Ministério da Saúde da província de Ontário, no Canadá - incluindo informações sobre redução do índice de massa corporal (IMC), complicações e mortalidade pós-operatória, custos do controle da obesidade, e qualidade de vida relacionada à saúde. Com isso eles descobriram que a cirurgia denominada gastroplastia com derivação intestinal é barata e eficaz em termos de anos de vida e qualidade ajustada aos anos. >>>> essa técnica é padrão-ouro no Brasil e no mundo e aqui no Brasil ela tem cerca de 25 anos. Realmente percebo no consultóro que é a técnica onde se nota maior perda e manutenção do peso.... agora estatisticamente comprovada!!!

“A avaliação mostrou que o bypass gástrico é a estratégia mais barata e mais eficaz para indivíduos obesos mórbidos em termos de custos por anos de vida e custos por qualidade de vida ajustada a esses anos”, explicaram os pesquisadores em publicação do Congresso.
“A obesidade é uma epidemia global, e as comorbidades associadas a ela apresentam riscos à saúde, além de colocar encargos financeiros sobre o sistema de saúde. A cirurgia bariátrica tem se destacado na redução de peso, na melhora da qualidade de vida e na redução da morbidade de pessoas excessivamente obesas”, concluíram os autores.
Mais um motivo para eu acreditar que a cirurgia realmente dá aquele "empurrãozinho" que o paciente obeso mórbido precisa para perder peso... mas não podemos esquecer NUNCA de uma coisa: a cirurgia NÃO é MILAGROSA! Temos sempre que ter em mente que a operação é apenas um pequeno passo da caminhada.... mudar o estilo de vida, a relação com a comida é primordial....

Fonte:
15th Annual International Meeting of the International Society for Pharmacoeconomics and Outcomes Research. The Ispor Outcomes Research Digest. ID: 24281.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Consumo de leite por adultos: é bom ou é contra indicado?

Gente, boa tarde!

Uma leitora do blog me mandou um e-mail sobre essa questão de exclusão do leite por adultos X alergias, assunto que já comentei aqui anteriormente....
Pra quem me conhece, sabe que sou uma pessoa altamente a favor do consumo de leite de vaca por humanos... minha tese de mestrado é sobre intolerância à lactose, deficiência de vitamina D e metabolismo do cálcio em pacientes no pré-operatório de cirurgia bariátrica... pesquisei muito sobre o assunto e estudei os pacientes na Unifesp... por isso que sempre falo e repito: a exclusão do leite de vaca da dieta dos pacientes deve ocorrer através de situações muito pontuais!

Estudos inclusive falam do papel do aleitamento materno no desenvolvimento de alergias respiratórias. Um artigo de revisão brasileiro, publicado em 2009 conclui que apesar das muitas pesquisas sobre o tema, não se pode concluir se o aleitamento materno ajudará a prevenir a sensibilização a alérgenos em crianças com enfermidades como asma. No entanto, por todas as suas conhecidas vantagens, o aleitamento materno exclusivo deve ser encorajado nos primeiros meses de vida. Ou seja: existem diversos estudos sobre o tema, sendo que alguns não são conclusivos, o que não nos deixa afirmar que 100% das crianças se benficiarão do papel do leite materno na proteção de alergias respiratórias como a asma. 

Um outro estudo, com poucos pacientes publicado em 2002 comparando uso de iogurte X uso de leite na ocorrência de rinopatia alérgica concluiu que o consumo de iogurte ao invés do leite parece melhorar ou prevenir a recorrência de rinopatia. No entanto, não foram todos os testes alérgicos que foram realizados com os pacientes que tiveram diferença significativa. Talvez tenha sido devido ao pequeno número de pacientes estudados.



Fazendo uma varredura pela internet, achei essa reportagem publicada há um mês no Estadão sobre o consumo de leite e acredito que essa matéria traduz mesmo minha postura sobre o consumo de leite na idade adulta; deixei uma versão resumida da reportagem e comentários em negrito:

Consumo de leite por adultos é ''reabilitado''

O Ministério da Saúde americano adverte: a intolerância ao leite é rara (isso eu pude comprovar na prática na minha tese de mestrado) e o produto está liberado para grande parte dos adultos, e não o contrário. Não se justifica retirá-lo da dieta sem ter certeza de que o problema realmente existe. O alerta feito nos EUA tenta combater teorias contra o leite que ultrapassaram as fronteiras e chegaram a vários países, entre eles o Brasil.
 
Por aqui, cientistas organizaram um tribunal científico sobre o produto, cujas análises foram publicadas no livro Leite para Adultos - Mitos e Fatos Frente à Ciência (Editora Varella). O leite de vaca é saudável, apontam. A intolerância e as alergias são raras. E não há evidências científicas de que cause doenças respiratórias como a asma, por exemplo. Por outro lado, ainda é controverso que o leite seja benéfico por exemplo para úlceras, como diz a sabedoria popular.
"O leite é um alimento muito rico do ponto de vista nutricional. E seu consumo por pessoas sem componentes restritivos é salutar", afirma a nutricionista Adriane Antunes, professora de Nutrição na Faculdade de Ciências Aplicadas da Universidade Estadual de Campinas e uma das organizadoras do livro ao lado de Maria Teresa Pacheco, do Instituto de Tecnologia de Alimentos, de São Paulo.
Não há motivo, portanto, para a maioria da população não seguir a recomendação que consta no Guia Alimentar para a População Brasileira, do Ministério da Saúde, que preconiza três porções de leite e derivados por dia - uma porção é um copo de leite, por exemplo (procurem nossa Pirâmide Alimentar aqui mesmo no blog; a visualização da mesma é clara sobre as porções de leite e derivados a serem consumidas diariamente para termos um adequado aporte de cálcio, além da vitamina D). O leite é a melhor fonte de cálcio, mineral essencial para a saúde dos ossos, mas o país registra redução de consumo. A recomendação só não deve ser seguida se houver diagnóstico claro de problemas, como as alergias e a intolerância - possível por meio de testes específicos.

Supervalorização. Além da intolerância à lactose - dificuldade de digerir esse açúcar que leva a diarreias e flatulência -, as proteínas do leite realmente podem gerar alergia em algumas pessoas, com manifestações orais, dermatológicas e respiratórias.

"Não dá para generalizar. Retirar o leite exige cuidado. Há testes específicos para se detectar a intolerância à lactose e as alergias. Vemos pacientes com diagnóstico errado e é preciso lembrar que uma recomendação como essa muda toda a dinâmica da dieta do indivíduo e da família, tem impacto social", diz o alergista Fabio Kuschnir. "É muito preocupante fazer isso sem a confirmação do diagnóstico. Além de rotular as pessoas, um discurso como esse pode levar a deficiências nutricionais." Ou seja: se existe uma suspeita de alergia ou intolerância, o correto é procurar auxílio médico e lógico um acompanhamento com nutricionista caso seja necessário retirar o leite, para readequar a dieta e introduzir outros alimentos fontes de cálcio e vitamina D nas quantidades adequadas.

Fontes:
Silva, Denise Rizzo Nique da; Schneider, Aline Petter; Stein, Renato Tetelbom. O papel do aleitamento materno no desenvolvimento de alergias respiratórias: [revisão]/ The role of breastfeeding on the development of respiratory allergies: [review]. Sci. med; 19(1): 35-42, jan.-mar. 2009.

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20101010/not_imp623074,0.php
Aldinucci C; Bellussi L; Monciatti G; Passali GC; Salerni L; Passali D; Bocci V. Effects of dietary yoghurt on immunological and clinical parameters of rhinopathic patients. Eur J Clin Nutr; 56(12): 1155-61, 2002 Dec.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Consumo de adoçantes e produtos dietéticos por diabéticos: uma avaliação

Oisssss!!!

Está uma correria nesse final de ano, né???? Pessoal, recebi um e-mail que traz de forma bem realista mesmo a situação da desinformação do brasileiro a respeito de produtos dietéticos.... na revista científica Arquivos Brasileiros de Endocrinologia e Metabologia foi publicado um artigo referente à um estudo realizado em Ribeirão Preto, SP sobre o tema. Realmente o que a gente desconfia atendendo os pacientes é verdade: a falta de informação ainda é grande! O objetivo do estudo foi analisar o consumo de adoçantes e produtos dietéticos por indivíduos com diabetes tipo 2, atendidos pelo SUS em Ribeirão Preto.
Por meio de questionário, foram entrevistados 120 pacientes, estratificados por sexo, faixa etária e nível de atendimento. Os resultados mostram que o uso de adoçantes é frequente na população em estudo, com predomínio do tipo líquido, e o uso de produtos dietéticos é menor, com predomínio dos refrigerantes. O diagnóstico do diabetes foi determinante para o uso dos produtos e o critério de seleção mais utilizado foi o sabor. É pequena a porcentagem da amostra que sabe a diferença entre diet e light, que tem o hábito de ler o rótulo dos alimentos e que se preocupa com a quantidade utilizada de adoçante. O estudo conclui que existe uma necessidade da inclusão de informações sobre o uso adequado desses produtos nas atividades assistenciais aos pacientes com diabetes nos diversos níveis do SUS.

Estes resultados deste estudo mostram realmente o que vemos na prática: muitas vezes os pacientes diabéticos utilizam adoçantes líquidos muitas vezes sem quaisquer orientações sobre uso adequado do produto: quantidade a ser colocada nos líquidos/alimentos, adoçantes culinários, vantagens/desvantagens dos diferentes tipos de adoçantes. Além do mais, muitos pacientes consomem produtos light achando que são sempre isentos de açúcar ou consomem produtos diet sem quaisquer critérios sobre porção/quantidade a ser ingerida...
A educação em diabetes é um assunto cada vez mais importante e pertinente em nossa sociedade... já existem previsões medonhas sobre a evolução da doença no mundo moderno... querem ver??? Até 2025, o Brasil deve ocupar o quarto lugar no ranking mundial de maiores de 18 anos com diabetes. Hoje, 7,3 milhões de brasileiros adultos convivem com a doença, mas esse número vem crescendo a uma média de cerca de 650 mil novos casos por ano, de acordo com o Ministério da Saúde. Números preocupantes, principalmente quando se sabe que, segundo pesquisa realizada na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) 64% dos adolescentes obesos, entre 15 e 19 anos, já apresentam pré-diabetes do tipo 2 - a que está associada ao excesso de peso e tem se tornado uma ameaça cada vez mais precoce à saúde de jovens e de adolescentes. 

Prevenção + Educação = Saúde, Longevidade e Qualidade de Vida

Fontes:

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Livro: Nutrição em Cirurgia Bariátrica

Oi pessoal, estou muito feliz hoje! O livro Nutrição em Cirurgia Bariátrica da Editora Rubio está saindo do forno!!!!

Bom, sou co-autora do capítulo sobre Cirurgia Bariátrica em Doença Renal Crônica, uma parceria com minha amiga pessoal e nutri Alessandra Coelho. Foi uma experiência muito bacana!!! Obrigada pela parceria Alê!!!!

O livro é destinado aos profissionais da saúde e conseguiu reunir muita gente bacana para escrever o livro!!!!

Agora é ver o bonitinho nas prateleiras!

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Mitos e verdades no Diabetes

Oie pessoal, tudo bem???
Olha, esse post na verdade é praticamente um caminho para vocês darem uma checada no site da SBD (Sociedade Brasileira de Diabetes) sobre "Mitos e Verdades no Diabetes", onde uma graaaaande amiga minha nutri que também adoooora um diabetes participou! >>> Tarcilinha, bjos!!! Brilha!!!!!

As informações são ótimas e servem mesmo para dismistificar alguns conceitos que encontramos com uma certa frequência no consultório!


Boa leitura e nada de se acabar nas frutas, hein???? Rsrsrsss.....

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Hoje eu vou falar sobre MILHO

É isso aí! Milho!!!! Tem gente que adoooora milho! E vamos combinar que o milho é muito versátil... se você quiser fazer um "Milho Day" ou "Milho Meal" você faz tranquilamente, não é verdade?


Olha só... vc começa com uma salada com milho, sopa de milho, polenta, milho cozido, cuscuz, tem curau de sobremesa, suco de milho pra acompanhar... O milho, eu acho, é um dos poucos alimentos que passada entrada à sobremesa tranquilamente!!!!!! Isso porque eu nem falei de amido de milho, hein???

Ou seja, os grãos de milho aparecem em uma enorme variedade de produtos culinários - em alguns a matéria prima original nem chega a ser reconhecida (mingau com amido de milho vc nem sabe que tem milho na história!!!).

Temos as variedades óbvias do milho..... diferentes qualidades de fubá, canjica, pipoca, farinha de milho flocada e tem aqueles produtos derivados do milho, como óleo de milho, xarope de milho (glucose) e cereais prontos para comer!!!! Viu como dá até pra gente inventar a "dieta do milho"??? >>> BRINCADEIRA!!!!!!!

O fubá é um derivado do milho muito disseminado no Brasil e que pode ou não incluir o gérmen do grão (parte interna do grão). Tanto no milho quanto em outros cereais alimentícios, a presença do gérmen acarreta em uma deterioração rápida do produto, devido ao seu alto teor de gordura. Por isso que sempre acabamos encontrando o fubá sem o gérmen.

E pessoal: no gérmen é onde está boa parte das vitaminas e minerais... e sabe onde é usado normalmente??? Na alimentação animal, como frangos de corte e galinhas poedeiras... e a proteína do gérmen é de excelente qualidade (gluteína)... mas não vamos confundir alhos com bugalhos!!!
Só às vezes comemos o gérmen nos produtos industrializados à base de milho... É fácil concluir, que, do ponto de vista nutritivo, devemos preferir os cereais integrais (sempre!), visto que as técnicas de industrialização (beneficiamento) resultam em alimentos com valor nutritivo diminuído, a não ser que os nutrientes perdidos durante a industrialização sejam recuperados através de enriquecimento (os cereais matinais são um excelente exemplo!). Uma vantagem: ao contrário do arroz e do trigo, que são totalmente refinados durante seus processos de beneficiamento, o milho conserva sua casca, que é rica em fibras, ajudando no bom funcionamento intestinal.

Em 2001 (faz tempo...) a demanda do milho no mercado brasileiro (incluindo aí produção para alimentação animal e para uso humano) foi superior a 23 milhões de toneladas!!!!!!!! Haja festa junina para comer esse milho todo, sô!!!!!!! Vamos esclarecer: apenas cerca de 5% da produção brasileira destina-se ao consumo humano.

O milho é cultivado em diversas regiões do mundo. O maior produtor mundial são os Estados Unidos. No Brasil, que também é um grande produtor e exportador, São Paulo e Paraná são os estados líderes na sua produção.

Mas o milho é bom? É um alimento saudável???? Comer milho é bacana???
Bom, o milho é da família do ARROZ e não da família do feijão!!!! Ou seja: o milho é um cereal, fonte de energia, pois seu valor nutritivo é sobretudo proporcionado pelos carboidratos. Desta forma, devem fazer parte da nossa alimentação em substituição ao arroz, batata, farofa, massas em geral. Essa questão da substituição é importantíssima especialmente quando estamos falando de pacientes com diabetes que não podem ter um consumo exagerado de carboidratos, ainda mais numa mesma refeição!!!
E vamos combinar que a "dieta do milho" ia trazer muuuita energia para gente... afinal das contas é como se fizéssemos a "dieta do pão", "dieta do macarrão".... afeeee.... precisamos de proteínas, cálcio, vitaminas, minerais.... não dá pra ter tudo só comendo milho!!!!!

Sete colheres de sopa de milho em conserva (140 gramas mais ou menos) tem cerca de 150 calorias...
O milho é rico em beta caroteno, o precursor da vitamina A, essencial para o processo de acuidade visual; seu óleo é fonte de vitamina E. Bom, o grão de milho é constituído além de carboidratos, um pouco de proteínas e vitaminas do complexo B, ferro, fósforo, potássio e zinco!!!!

Ufa.... deu até vontade de comer uma pipoquinha....

Fontes:
Dutra de Oliveira & Marchini. Ciências Nutricionais, 1998.
Crawford. Alimentos: seleção e preparo. 1985.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Alimentos pra combater o estresse, stress, sei lá, já tô ficando estressada, ahahahah!

Pessoal, final de ano chegando, reta final, a gente vai ficando cansada, bateria arriando, de "saco cheio mesmo" né??? Mas não podemos entregar os pontos, temos que persistir até o final de 2010... para isso, precisamos praticar exercícios, dormir bem e é LÓGICO, se alimentar direitinho né?
Achei essa matéria do Minha Vida (http://yahoo.minhavida.com.br/conteudo/11921-Alimentos-antiestresse-combatem-a-dpressao-e-a-ansiedade.htm) beeeem bacanona e que casa 100% com tudo isso que a gente está falando e sentindo né??? Comentários em lilás, cor relaxante...

Alface: substâncias encontradas principalmente nos talos das folhas como a lactucina e lactupicrina, atuam como calmantes naturais. >>> Viu? Completando o dia com um chazinho de camomila, já dá pra fazer um bem bolado relaxante! Fora que o alface é super parte da nossa dieta e tem fibras, ajuda a funcionar o intestino... aliás, intestino funcionante é sinônimo de felicidade! Ou será que vc nunca ouviu falar que uma pessoa está ENFEZADA??? (Brava ou cheia de fezes.... que dúvida cruel!)


Espinafre e brócolis: previnem a depressão. Contêm potássio e ácido fólico, importantes para o bom funcionamento das células, assim como o magnésio, o fosfato e às vitaminas A e C e ao Complexo B, que garantem o bom funcionamento do sistema nervoso.

Peixes e frutos do mar: diminuem o cansaço e a ansiedade, pois contêm zinco e selênio, que agem diretamente no cérebro. Cereais integrais e chocolate (com moderação) também são ótimas fontes de zinco. O selênio também pode ser encontrado no atum enlatado e na carne de peru.

Laranja: promove o melhor funcionamento do sistema nervoso. É um ótimo relaxante muscular, ajuda a combater o estresse e prevenir a fadiga. A fruta é rica em vitamina C, cálcio e vitaminas do Complexo B. A ingestão de vitamina C inibe a liberação de cortisol, principal hormônio relacionado ao estresse no corpo >>> além do mais o cortisol está envolvido com dificuldades na perda de peso de pacientes que estão tentando emagrecer! Laranja neles!

Castanha-do-pará: melhora sintomas de depressão, auxiliando na redução do estresse. Também é rica em selênio, um poderoso agente antioxidante. Uma unidade ao dia já fornece a quantia diária recomendada de 350mg. >>> já comentei da castanha aqui no blog... sem exageros, para não ter excesso de selênio no organismo e nem alto consumo de calorias...

Alimentos ricos em vitaminas do complexo B: Quando o estresse está presente, o corpo utiliza a glicose desordenadamente, consumindo então as proteínas do músculo como fonte de energia. O ideal então é se alimentar de alimentos ricos em carboidratos complexos e uma dose extra de proteína magra como: leite em pó, queijo minas, amêndoas e carne que contém vitamina B12; ovo, leite, banana, aveia, batata, ricos em vitamina B6. >>> pacientes de cirurgia bariátrica: vcs entendem pq a gente implora pra comer alimentos de origem animal??? Olha a B12 aí genteeeeee!!!!

Maracujá: ao contrário do que diz a crença popular, a fruta não é calmante, mas sim suas folhas (essa nem eu sabia...). As folhas contêm alcalóides e flavonóides, substâncias depressoras do sistema nervoso central (SNC), o conjunto do cérebro com a medula espinal, responsável pela sensibilidade e pela consciência. Por isso, elas atuam como analgésicos e relaxantes musculares.

Bacana né??? Ter uma alimentação variada, rica em hortaliças, frutas, além de conter alimentos fontes de energia e proteínas é muito importante para podermos encarar nosso loooouco dia-a-dia...

Ainda bem que tem uns feriados em breve pra quebrar essa doideira... 

sábado, 4 de setembro de 2010

Eu adoro sorvete de iogurte!!!!!!!

Oies!!!
Tudo bem???
Feriadão em vista... sol de rachar e sem nenhum pinguinho de chuva né????
Mas não é porque estamos para emendar 4 dias de descanso que vamos enfiar o pé na jaca todos os dias do feriado né???? Sorvete de massa com cobertura, sorvete de casquinha, milk shake, banana split.... afffffeeeeeeee... Gente, concordo de coração que tudo isso é uma delícia, mas será mesmo que precisamos tomar TODOS eles nesse feriado????

Uma opção excelente que cresceu muito no último semestre (especialmente onde consegui acompanhar: Rio de Janeiro e São Paulo) são os chamados frozen yogurt ou sorvetinhos de iogurte....
Que delícia hein????
Com valor calórico beeeem baixo, os frozen yogurts possuem geralmente 0% de gordura, sendo que todos os benefícios do iogurte permanecem nessa delícia gelada! As máquinas misturam iogurte e leite desnatados e em alguns casos, frutas como framboesa, lichia e blueberry. O resultado aparece nas massas cremosas e coloridas, de paladar levemente azedinho. Ou seja: o sorvete de iogurte não só contém os nutrientes do leite, como cálcio (para manutenção dos ossos e dentes), mas também é rico em probióticos, como lactobacilos (culturas vivas), que ajudam a combater as bactérias maléficas dentro do nosso intestino, regenerando nossa flora intestinal e assim contribuindo para a regularização do trânsito intestinal e controle da produção de gases!!! Vocês sabiam que estas bactérias lácteas também ajudam nosso sistema imunológico????

Um potinho com cerca de 100 gramas de sorvete de iogurte sabor natural tem cerca de 111 calorias e 4 gramas de proteínas... fora todo o sabor delicioso do iogurte!!!
E o que é bacana: algumas empresas já estão produzindo as versões Zero Açúcar!!! É muita novidade boa de uma vez só!!! Ou seja: um sorvetinho pequeno, de 60 gramas tem apenas 40 calorias!!! Gente, um picolé de frutas tem 50 calorias ou mais!!!
São muitos benefícios em um valor calórico pequeno!!!! Só precisamos tomar cuidado com os chamados "toppings" ou coberturas disponíveis... existem tanto as opções mega saudáveis, como frutas picadas como as famigeradas caldas de chocolate, chocolate com avelã, gotas de chocolate e geléias que podem aumentar e muito a quantidade de açúcar do sorvete e é claro, estourar o valor calórico!!!! E o objetivo não é esse né????
Como sempre pessoal, sem exageros!!!

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

SBEM no Sábado - 28 de agosto - Relevância de Fatores Dietéticos para o Risco Cardiometabólico e Tratamento

Olá pessoal!
Depois de Julho, os cursos sempre começam a pipocar!!!!
Este da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia/SP terei a honra de participar!
Nos vemos lá!

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Meu filho não come!!!!!!!! O que eu faço????

Quem nunca ouviu isso, não é mesmo????
Estava navegando pela internet quando me deparei com esta entrevista presente no site http://www.nutritotal.com.br/ 
A nutri da vez é a Glauce Hiromi Yonamine, do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP). Dei uma resumida na entrevista e deixei os principais aspectos que as mamães de plantão precisam saber (e fazer!).
Deixo uns poucos comentários em vermelho!!!

Como diferenciar a falta de apetite que acontece na infância com falta de apetite devido à doenças?  
É preciso uma avaliação médica para excluir causas patológicas para a recusa alimentar, como infecções, doença do refluxo, alergia alimentar etc. Geralmente, a criança com falta de apetite sem nenhuma doença apresenta ganho de peso e estatura adequados e pode-se perceber, práticas inadequadas dos pais para a alimentação, devido à falta de orientação e ansiedade deles em alimentar a criança, como:
- alimentar a criança à noite, enquanto ela está dormindo ou sonolenta porque ela não se alimentou direito durante o dia;
- alimentar mecanicamente, estabelecendo horários rígidos para a alimentação, sem respeitar a satisfação da criança; (a rigidez de horários logo no comecinho só traz dores de cabeça aos pais... com o tempo se trabalha horário para o lanche, horário para o almoço, pois a criança entra na escolinha e precisa de rotina... mas logo nos primeiros anos de vida, a criança precisa do seu tempo para se alimentar!)
- tentar alimentar a criança constantemente, geralmente sem sucesso, independente do apetite da criança, na tentativa de fazer com que a criança aceite mais um pouco de alimento ou bebida;
- forçar a alimentação, mesmo após recusa da criança e contra a sua vontade (por exemplo: abrir a boca da criança e colocar o alimento à força); (isso NUNCA!)
- distração condicional, isto é, a criança só aceita a refeição se houver distração (com música, televisão, brinquedos, se estiver andando) e não demonstra interesse em se alimentar; (um grande erro que vejo com muita frequência em hotéis, praças de alimentação... peraí! A hora de comer é para comer, não é hora de ver TV....)  
- prolongar a refeição por mais de 30 minutos, apesar do insucesso em alimentar a criança.

Outros fatores que podem indicar a falta de apetite de causa não patológica são os problemas de dinâmica familiar e comportamentos inadequados da criança, como seletividade (aceitação de apenas um tipo de alimento ou alimentos de determinada cor), ânsia de vômito antes da refeição ou ao colocar o alimento na boca, e recusa ao alimento (virando a cabeça) quando este é oferecido.

Como os alimentos devem ser oferecidos às crianças?
De maneira geral, os pré-escolares devem receber de 5 a 6 refeições ao dia (café da manhã, almoço, jantar e de 2 a 3 lanches), em intervalos regulares (a cada 2 a 3 horas), mas sem rigidez, isto é, respeitando os sinais de fome e saciedade da criança. Todos os grupos de alimentos devem ser oferecidos e de forma variada. Os alimentos devem ser colocados no prato em pequena quantidade, permitindo repetição por solicitação da criança. Deve-se desencorajar as refeições noturnas, oferta de guloseimas e de sucos entre as refeições. As crianças devem se sentar à mesa, realizar as refeições junto com a família, sendo estimuladas a se alimentar sozinhas, mas sempre com supervisão. Em caso de uso de mamadeiras, estas devem ser substituídas pelo copo.

Que estratégias podem ser utilizadas para incentivar o consumo alimentar?
A criança deve ser preparada para a refeição, isto é, avisá-la para ir finalizando a brincadeira ou qualquer outra atividade minutos antes da refeição e ir se “aprontando” para a refeição. (importantíssimo! A criança precisa "baixar a bola" e entender que precisa lavar as mãos e se sentar à mesa).
Os alimentos devem ser arrumados no prato de forma agradável, podendo ser útil utilizar pratos com divisórias, para aquelas crianças que gostam de ver os alimentos separados, pois nessa fase é comum a resistência a experimentar novos alimentos. É importante variar a forma de oferta dos alimentos e expor a criança ao mesmo alimento de 8 a 10 vezes, em ocasiões diferentes, para que ela aprenda a consumi-los. A oferta do alimento novo no início da refeição, quando a criança está com mais fome, pode facilitar a aceitação. Enfatizar a cor, forma, aroma e textura dos alimentos para despertar o interesse da criança.
Os pais devem servir como exemplo, consumindo uma alimentação saudável e variada, pois as crianças se espelham neles. (muitas vezes pais querem que os filhos comam aquilo que eles abominam! Sempre precisamos ter uma alimentação colorida, variada e saudável para que as crianças vejam aquilo que deve ser feito!)
A participação na compra e preparo dos alimentos, de forma lúdica (dar nomes aos alimentos, fazer desenhos com alimentos, ajudar a picar, adicionar ingredientes as preparações) ajuda a aumentar o interesse em consumi-los.
Se a criança recusar os novos alimentos, os pais não devem demonstrar ansiedade ou nervosismo, pois isso só gera estresse e piora a recusa alimentar. Nestas situações a criança pode estar querendo chamar a atenção dos pais, sendo necessário dar carinho e atenção em outros horários do dia.

Pode ser utilizada a estratégia de compensação para o consumo de sobremesa caso a criança consuma toda a refeição?
Não se deve exigir que a criança coma tudo o que está no prato, mas sim, permitir que ela respeite os sinais de saciedade. Também não é recomendado insistir, fazer chantagem, pressão, punir ou prometer premiações como a sobremesa. Estas estratégias só pioram a aceitação dos alimentos em longo prazo. A sobremesa e os outros doces não devem ser supervalorizados, mas sim oferecidos eventualmente, como mais uma preparação, com limites quanto ao horário e quantidade. Os alimentos não devem ser divididos em “bons” e “ruins” ou “permitidos” e “proibidos”, pois isso só aumenta a vontade de comer aqueles alimentos que são “ruins” ou “proibidos”. (Muitos pacientes adultos obesos são as crianças que tinham o doce como presente ou prêmio... não podemos de forma alguma elevar os alimentos à categorias de presentes, prêmios ou conotações que não são alimentares.... a relação futura com o alimento pode passar de alimentar para satisfazer dependências/necessidades psicológicas e afetivas. Por isso não caiam mesmo na cilada do doce maravilha presentão depois do jantar!)

A mamadeira de leite pode ser oferecida no lugar de uma refeição?
A mamadeira nunca deve ser oferecida em substituição à refeição salgada (almoço e jantar), pois a criança não aprenderá a consumir os alimentos destas refeições e sempre manipulará os pais para receber o leite, que geralmente é o alimento mais preferido, pois a criança já está acostumada com o sabor e não precisa mastigar.

É indicado “esconder” verduras entre outros alimentos de melhor aceitação?
Esconder as verduras em outros alimentos bem aceitos não é aconselhável, já que a criança não aprende a comer adequadamente. A criança precisa ver o alimento e saber o que está comendo, pois só assim, aprenderá a ter uma alimentação saudável e variada.

Devagar e sempre... ser pai/mãe não é apenas gerar... é criar, educar e fazer com que esta criança se torne uma pessoa que respeita a vida, adora os animais e vê nos alimentos a fonte da vida e da saúde.... nossa, estou meio filosófica hj!!!!!!!

Fonte:
http://www.nutritotal.com.br/entrevistas/?acao=bu&categoria=1&id=31

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Patê de frango light

Oie!!!
Estou aqui no meio da elaboração das orientações alimentares dos meus pacientes quando me deparo com uma orientação para fazer de um "cidadão" brigado com o peixe, frutos do mar e tudo que mora em rio e em praia.... daí eu pensei: preciso de uma receita de patê de frango light.... mas light de verdade, que não seja uma receita lotada de maionese, creme de leite e essas coisinhas mais.... já que o patê de atum light não rola para ele, nada  mais justo do que substituir por franguitcho... lá vai:

INGREDIENTES:
- 300 g de peito de frango cozido em água com 01 sachet de caldo de frango;
- 01 copo de requeijão light;
- 01 colher de sopa maionese com baixas calorias;
- 01 colher de sopa de mostarda;
- 01 colher de sopa de molho inglês;
- 01 colher de sopa de suco de limão coado;
- sal, pimenta e salsinha picada à gosto.

MODO DE PREPARO:
            Coloque no copo do liquidificador os ingredientes líquidos. Bata ligeiramente e acrescente o peito de frango em pedaços pequenos, batendo com o restante dos ingredientes, exceto a salsinha. Retire do liquidificador, misture a salsinha com uma colher e leve à geladeira até o momento de servir.

Lógico que existe a possibilidade da troca do requeijão light por ricota cremosa, como a ricota da Tirolez, que até mudou de embalagem... agora está com uma embalagem verdinha... como já postado anteriormente aqui mesmo no blog, a ricota cremosa tem mais proteínas, menos calorias e menos gorduras saturadas que o requeijão.... vale a pena a troca!!!!

BOM LANCHE DE SÁBADO À NOITE!!!!

terça-feira, 20 de julho de 2010

Úlceras por pressão - o que é isso????

Oi gentem... tudo bem?
Quase 100% sumida, sei disso! Minha vida anda cada vez mais atribulada, cada vez menos tempo de escrever aqui, mas fico com dor no coração por não postar com aquela frequência de antes!!! Não é falta de vontade não.... é falta de tempo mesmo!!!!
Amanhã vou dar uma aula sobre Terapia Nutricional na Cicatrização e como está tudo muito fresquinho em minha mente, vou falar um pouquinho de úlceras por pressão!!!
Pra quem não sabe, úlceras por pressão (ou UP, pra facilitar) são as chamadas escaras, ou úlceras de decúbito. Podem ser definidas como qualquer lesão causada por pressão não aliviada que resulta em dano tecidual. Ou seja: paciente acamado que não se mexe tem, especialmente nas proeminências ósseas, uma pressão do colchão contra a pele, reduzindo a circulação e a oxigenação dos tecidos naquele local, ocasionando então a lesão. 
As úlceras têm super importante impacto nos sistemas de saúde, pois estão altamente associadas com maior morbimortalidade. Um estudo holandês mostrou que o custo associado às úlceras por pressão só é superado por câncer e doenças cardiovasculares.... é mole?????
Dentre os fatores que predispõe o paciente a ter UP, temos a desnutrição como um fator muito importante, pois retarda a cicatrização e aumenta a suscetibilidade às infecções.... por isso que não podemos deixar que os pacientes desnutram!!!! Sei que sempre falo de obesidade e perda de peso, mas é super importante triar os pacientes e não deixar que os mesmos entrem em desnutrição dentro de um serviço de saúde ou homecare!!!! A imobilidade e a idade também são fatores importantes para o desenvolvimento das UP. Ou seja, os pacientes mais suscetíveis às UPs são os idosos e aqueles com lesão medular, uma vez que a mobilidade destes pacientes é mais baixa ou até mesmo nula.... as UPs normalmente se desenvolvem na parte inferior do corpo, mas podem aparecer lesões na orelha, nariz ou até mesmo nos braços.
Vocês sabiam que o desenvolvimento de UP pode até ser considerado em alguns casos como um indicador de má qualidade de cuidado ao paciente??? Pois é, nutris e enfermeiros, atenção ao paciente!!!!!!!!
Um estudo com metanálise realizado em 2005 mostrou que a terapia nutricional reduz o aparecimento das UP e melhora a cicatrização. Desta forma, a suplementação para os pacientes que estão em risco de desnutrição, desnutridos ou com presença de UP se torna essencial!!!!
E por favor, sem medo de ser feliz: após um avaliação nutricional bem feita, com observação de exames laboratoriais (ferro, ferritina, albumina, transferrina), a suplementação protéica acaba sendo muito importante, pois a proteína participa de todas as etapas da cicatrização. Mas não é só de proteína que uma cicatrização é feita não!!!!
O zinco, glutamina, arginina, selênio, vitaminas antioxidantes (vitaminas C, A, E), vitamina K são indispensáveis para auxiliar no processo de cicatrização, pois participam da formação do colágeno, auxiliam a função imune, protegem as células dos radicais livres, dentre várias outras funções.  
A avaliação multiprofissional é essencial para auxiliar um paciente que necessita de curativos especiais, terapia nutricional específica para cicatrização e cuidados para evitar a reincidência da UP, aparecimento de outras UP em outros locais de pressão e assim melhorar a qualidade de vida e aumentar a sobrevida do paciente.

Fonte consultada:
WAITZBERG, DL. Nutrição Oral, Enteral e Parenteral na Prática Clínica. 4.ed. São Paulo: Atheneu, 2009.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Hoje é dia de São João! Pé de moleque light nele!!!!!

Oi gente!!! A Dani (minha paciente linda e cabeçuda) pediu uma receita de pé de moleque LIGHT, uma vez que curau light para o paladar refinado "novaiorquizado" dela não dá!

Mas sabem de uma coisa??? Achei muita receita enganadora pela internet, viu??? E sabem qualé o motivo???
Muitas receitas colocam o açúcar mascavo no lugar do açúcar refinado para a preparação do doce e como expliquei alguns posts atrás, TROCAR AÇÚCAR REFINADO PELO MASCAVO é trocar 6 por meia dúzia quando falamos de calorias!!!!!!!!
Por isso, uma receita light de verdade de pé de moleque precisa ter adoçante culinário, margarina light... pena que a natureza não inventou o amendoim light, porque esse daí... afe!!! É calórico que só! 100 gramas de amendoim tem 500 calorias... EU DISSE 500!!! É coisa à beça!!!
Por isso, pacientes de plantão, não se arrebentem na paçoca e no pé de moleque nessa época do ano!!! Uma paçoquinha ter cerca de 146 calorias... melhor mesmo é o meu amigo curau light....
Mas se vc tem verdadeiro faniquito por amendoim e preparações juninas, modere hein??? Não vai me comer a embalagem inteira de paçoca de rolha!!!!!! Muito menos a caixa toda de pé de moleque!!!!
Melhor: FAÇA O PÉ DE MOLEQUE LIGHT!!! >>> e por favor, uma porçãozinha por dia, hein???? Sem exageros, leva na festa junina da sua tia, na festinha da sogra, mas não coma a receita toda!!!!

Ingredientes:
- 500 g de amendoim torrado e moído
- 1 colher de sopa de margarina light (sem sal)
- 1 receita de leite condensado diet (receita abaixo)
- 1 colher de sopa de multiadoçante ou adoçante culinário

Modo de Preparo:
Misture bem os ingredientes, coloque em uma forma untada comprimindo bem essa massa do pé-de-moleque. Cubra com papel filme e leve à geladeira. Depois de bem gelado, corte os quadradinhos e guarde em uma vasilha fechada, na geladeira.

Leite condensado diet:
- 1 xícara de chá de leite em pó desnatado
- 1 colher de sopa de adoçante culinário
- 1 colher de sopa de manteiga light
- 3/4 de xícara de chá de água fervente
Modo de preparo:
Misture o leite em pó, a manteiga e o adoçante. Acrescente a água aos poucos, mexendo bem (ou bata na batedeira por 3 minutos). Coloque em uma panela e leve ao fogo por 5 minutos; retire do fogo e espere esfriar um pouco para colocar em um recipiente de vidro.

Só não faz quem não quer....

quarta-feira, 16 de junho de 2010

É festa junina sô!!! Vamo cumê um curau light???

Pois é pessoal!
Não podemos esquecer que a gente enfia o pé na jaca, ou melhor, no curau nessa época junina do ano!!!
Por isso descolei essa receita de curau light, que mata a bicha por doce junino sem matar a sua intenção de perder peso no meio deste período de festas:
Veja por exemplo a receita desse Curau Light:


Ingredientes:
- 4 de xícaras de chá de leite desnatado;
- 6 colheres de sopa de adoçante culinário (como o Linea Culinário, por exemplo) ;
- 2 latas de milho escorrido (preferir aquele conservado no vapor);

- 1 colher de sopa de margarina light sem sal;
- 1 colher de sopa de amido de milho (maisena);
- 1 colher de café de essência de baunilha;
- 1 colher de sobremesa de canela em pó.

Modo de preparo:
Bata no liquidificador o leite, o milho, o adoçante, a margarina e a maisena. Passe pela peneira e coloque numa panela antiaderente. Leve ao fogo médio e mexa até ficar um creme grosso. Acrescente a baunilha e distribua em taças individuais. Polvilhe com a canela e deixe esfriar. Leve a geladeira por 30 minutos antes de servir.
Rendimento: cerca de 12 taças 100 ml
Calorias por porção: 60 kcal (e olha que o curau tem 4x mais calorias genteeeeeeeee!!)


Lógico que gastar energia somente escrevendo correio elegante e jogando bingo não dá!!! Dance bastante quadrilha vestido de caipira, sorria, se divirta e não esqueça que este tipo de diversão é só nessa época do ano!!! Bão dimais!

segunda-feira, 14 de junho de 2010

O Pré Diabetes está atingindo os pré adolescentes no Brasil!

Oi pessoal, boa noite!

Podem me xingar, falar que sou relapsa ou qq coisa que o valha sobre a atualização do blog! Realmente eu ando BASTANTE ocupada com outras atividades profissionais e chego tão cansada que não consigo elaborar alguma coisa bacana para colocar aqui!
Bom, acessando o site www.nutritotal.com.br fiquei feliz em ver que os estudos da Unifesp estão sendo bastante valorizados e comentados.... o que eu não fiquei tão feliz assim foi ver o conteúdo da matéria.... realmente o aumento de pré-diabetes em adolescentes é uma coisa grave.... estamos cada vez mais americanizados, fala sério! Obesidade, Diabetes.... tratar isso custa $$$ viu??? Melhor prevenir do que remediar....
Bom, segue a matéria (comentários em vermelho):

"A pesquisa do Grupo de Estudos da Obesidade (GEO) do Departamento de Biociências da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), desenvolvido no CEPE (Centro de Estudos em Psicobiologia e Exercício), com 29 participantes pelo período de um ano identificou que 64% dos adolescentes obesos participantes do Programa de Intervenção Interdisciplinar em Obesidade em 2009 apresentavam resistência insulínica. Como a insulina é um hormônio que possibilita que as células captem glicose para gerar energia para todas as atividades (ou seja, é a chave que abre a porta da célula para a glicose entrar, sendo que a glicose é nossa fonte primária de energia), a resistência insulínica pode, com o passar do tempo, levar ao desenvolvimento do diabetes tipo 2.
Estes adolescentes, se portadores de dislipidemia (ou seja, colesterol alto) e diabetes, terão ainda mais chances de desenvolver aterosclerose na fase adulta (doença crônica caracterizada pela formação de placas de gordura nas artérias, que podem levar a um derrame). Pois é pessoal, se vocês acham que colesterol alto e derrame cerebral (ou AVC) é doença de gente mais velha, CUIDADO! O perigo pode estar naquele sanduíche do "Méquidonaldis" que vc come toda santa semana com direito à sorvetinhos e tudo mais!!!! Vamos acabar com o excesso de peso antes que ele vire obesidade!!!!  

Boas notícias
Embora o estágio considerado pré-diabetes tenha sido verificado em mais da metade dos adolescentes durante o estudo, este índice foi reduzido para 17% por meio da prática de exercício físico três vezes por semana, intervenções nutricionais e psicológicas em grupo uma vez por semana, e individuais nos casos mais graves, além de consultas médicas com endocrinologista uma vez por mês (equipe multidisciplinar em ação funciona SIM! Não adianta fazer só exercícios, passar só no médico... cada um tem sua "parte" no tratamento e nada mais justo um paciente aprender a lidar com todas as causas multifatoriais da obesidade.... alimentação saudável, prática de exercícios físicos, exames laboratoriais e cuidar não somente do corpo como da mente também.... ESSENCIAL!)

De acordo com Priscila Sanches, mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Nutrição da Unifesp (arrasou colega!), o estudo mostra que as mudanças comportamentais e alimentares são sim capazes de contribuir não apenas para a prevenção, mas também para a redução da resistência insulínica, que por sua vez pode levar a problemas ainda mais sérios.

Adolescentes, não deixem que o excesso de peso seja apenas um peso visual na sua vida! As consequências para a saúde são enormes e é mais fácil tratar quando se tem 15 anos e consegue-se mudar mais rapidamente os hábitos de vida do que quando temos 60 anos e PRECISAMOS urgentemente mudar hábitos de vida praticados há décadas.... CUIDEM-SE!

Fontes:
http://www.diabetes.org.br/mais-informacoes/419-obesidade-e-diabetes
http://www.revistapesquisa.fapesp.br/?art=1996&bd=1&pg=1&lg=

sábado, 22 de maio de 2010

Não beber água encolhe o cérebro!!!!

Bom dia gente!!!! Pois é, deixar de beber água faz o cérebro encolher... creeeedo!!!!
Tem muito paciente por aí que negligencia a boa hidratação... o que não podemos esquecer é que não perdemos líquidos apenas através da urina, mas também através da pele (transpiração), respiração e pelas fezes!!!!
Normalmente, durante um dia, a perda de líquidos pela urina é cerca de 1400 mL... pelas fezes é cerca de 100 mL e pela transpiração mais 100 mL.... o que não podemos esquecer é que, quando respiramos, também perdemos líquidos! Quem nunca respirou perto de um vidro e ele ficou embaçado???? Por dia, essa perda pela respiração pode chegar até à 350 mL.... e a pele (desconsiderando a transpiração), perde mais 350 mL ao dia... OU SEJA: perdemos diariamente cerca de 2300 mL de líquidos! Por isso que é tão importante ter uma boa hidratação!!!!
As DRIs (ou Dietary Reference Intakes), um órgão americano muito respeitado pela comunidade científica da Nutrição, fala que um adulto do sexo masculino de 19-70 anos deve consumir cerca de 3,7 L de líquidos ao longo do dia!!! Já a mulher na mesma faixa etária deve consumir 2,7 L.... ou seja: não adianta só beber dois copinhos de água ao dia e ingerir somente os líquidos presentes nos alimentos (como numa fatia de melancia, água presente no leite ou numa carne cozida).... temos siiiim que beber a água santinha!!!!

A última da desidratação eu achei numa reportagem publicada no site do Terra, que comenta sobre uma equipe de cientistas do Reino Unido que constatou que a ingestão insuficiente do líquido encolhe a massa cinzenta e torna mais trabalhoso o ato de pensar (creeeedo!!!! Agora desidratação "emburrece"????).
Os pesquisadores contaram com a colaboração de adolescentes, que tiveram de andar de bicicleta por uma hora e meia. Alguns deles se exercitaram com três camadas de roupas, induzindo à maior produção de suor, enquanto os outros vestiram shorts e camisetas leves (sacanearam os adolescentes, mas tudo pelo bem da ciência!). 
Os jovens que pedalaram com muitas peças perderam cerca de 0,7 kg em suor e a quantidade média de encolhimento do cérebro foi similar a 14 meses de desgaste normal relacionado à idade ou a dois meses e meio de doença de Alzheimer (afe! 14 meses de massa cinzenta perdida em uma hora e meia de atividade física???? Por isso que os praticantes de atividade física regular DEVEM sempre se hidratar não somente depois da atividade física, mas antes e durante é essencial!!!!).
Os dois grupos se saíram bem quando, após a atividade física, se divertiram com um jogo de computador que testa a capacidade de planejar e resolver problemas. Mas os exames mostraram que os voluntários que eliminaram maior quantidade de líquido forçaram mais o cérebro para obter os resultados, segundo o jornal Daily Mail.
Ao longo de dias e semanas, a falta de água pode ter impacto sobre o desempenho no trabalho e na escola. No entanto, beber um ou dois copos faz com que o cérebro volte rapidamente ao normal. As constatações foram divulgadas na publicação Human Brain Mapping.

Andar com uma garrafinha de água não mata ninguém... muito pelo contrário: reidratar o corpo é importantíssimo e segundo estes estudos, estaremos reidratando a mente também!!!

Fonte:
http://saude.terra.com.br/interna/0,,OI4443091-EI1497,00-Falta+de+agua+pode+encolher+cerebro.htm
Material divulgação água Bonafont - referências sobre perda de líquidos e recomendações de ingestão

domingo, 16 de maio de 2010

TAPIOCA: é bom ou não é????

Oi pessoal, buenas tardes!!!
Andei sumida essa semana pois estava na Bahia, em Trancoso (olha, juro que foi à trabalho!)... mal e mal vi o sol por lá.... quando eu finalmente tive um tempinho livre.... CHOVEU!
Sacanagem né??? Mas pelo menos pude apreciar um pouco da culinária local e comer (claaaaro) a tapioquinha!!!!
Quem é que não vai ao Nordeste e come uma dessas, né???? Tem gente que gosta com manteiga de garrafa, outros com leite condensado, outros com queijinho de coalho, presunto e queijo, goiabada, mas a tapioca faz sucesso e tem sempre seu público garantido (lê-se: sempre tem fila para comer a bendita!).
Mas, comer tapioca é uma boa idéia? E quem quer perder peso? Pode comer tapioca???

Bom, vamos então falar um pouco de tapioca!!!!! Busquei várias informações (sites Bons Fluidos e Minha Vida) e condenso tudo por aqui... referências no final do post e comentários em azul....
Prato típico do norte e nordeste, a tapioca invadiu todo o país. A massa é feita à base de farinha de polvilho, um ingrediente 100% nacional, e água.
A tapioca está conquistando um espaço que parecia inabalável: entra para o café-da-manhã no lugar do pão francês >>> é isso mesmo pessoal! Podemos colocar a tapioca em nosso dia a dia como opção do pãozinho, biscoito, torrada do café da manhã! A idéia não é acrescentar e sim trocar!!!!  A troca faz todo o sentido, a iguaria de origem indígena é rica em carboidratos (cada tapioca tem cerca de 68 calorias e apenas 1,6 gramas de proteínas), podendo ser uma opção mais saudável que o pãozinho francês, pois não leva sal na sua preparação! Assim, os hipertensos de plantão podem usufruir da tapioca sem arrebentar no consumo de sal... o mesmo vale para os pacientes renais crônicos, que precisam ficar de olho no consumo de sal e de proteínas....
Mas não podemos esquecer que tanto o pãozinho francês como a tapioca são basicamente fontes de energia... ou seja: vitaminas e minerais precisam vir de outros alimentos da dieta ou até mesmo dos recheios que colocamos na tapioca. Poxa, mas cuidado! Do que adianta trocarmos um pãozinho francês (que tem cerca de 140 calorias por unidade) por uma tapioca rechada de leite condensado e coco ralado???? Só o leite condensado e o coco levam todo o esforço de uma alimentação saudável pro buraco!
A tapioca, muito fácil de se preparar, é tão criativa quanto a receita dos crepes franceses em matéria de recheios. Tudo começou com a chegada do colonizador português, que introduziu a manteiga. Aí veio o coco, a geléia e a criatividade.... dependendo da região do país, foram adicionados ingredientes locais, como charque, carne-de-sol e camarão, goiabada e doce de leite.  
Às vezes uma colher de sopa de geléia de goiaba diet com uma fatia fina de queijo minas frescal light pode ser uma opção mais inteligente do que uma fatia de goiabada com uma fatia de mussarela! E porque não optar pela tapioca com creme vegetal ao invés de manteiga de garrafa ou manteiga convencional? É muito mais saudável! Outra opção é acrescentar gergelim na massa da tapioca! 
Mas peraí que nem tudo são flores: a tapioca não tem fibras e nutrientes que facilitam o trânsito intestinal, por isso, pode causar prisão de ventre e constipação. Já a azia, pode ser provocada pelo polvilho usado na massa. Tanto é que a tapioca é recomendada para pacientes com diarréia crônica, pois a bichinha retarda o trânsito intestinal! Para quem tem constipação, muito cuidado!
Em comum, todas as receitas têm a presença do polvilho ou fécula de mandioca, como dito anteriormente. Após ralada e espremida, a mandioca libera uma massa seca e um líquido. A primeira, torrada em forno, dá origem à farinha de mandioca.
O caldo, por sua vez, passa por um processo de decantação, e féculas da raiz se depositam no fundo do recipiente. Esse material úmido é chamado de goma, ou tapioca molhada, e depois de seco vira o polvilho, um pó finíssimo e branco. Ele pode ser doce ou azedo. O polvilho doce resulta da goma fresca levada a secar antes que fermente e, por isso, é inodoro e insípido. Já o polvilho azedo resulta da goma fresca levada a secar depois de fermentada, por isso tem sabor azedo
Mas, na ausência da goma, somente encontrada nas regiões Norte e Nordeste, basta umedecer o polvilho para obter a matéria-prima básica da tapioca.

Receita básica:
- 1 kg de polvilho doce
- Água
  Modo de preparo:
  Umedeça o polvilho com água, para dar uma liga e deixe na geladeira por 12 horas. Passe a massa numa peneira e misture uma pitada de sal. Separe uma pequena quantidade da mistura e coloque em uma frigideira aquecida como se fosse uma panqueca, deixe a farinha ficar úmida e vire com uma espátula. Depois, basta espalhar o recheio escolhido em cima da massa base, dobrar ao meio e servir.

Fontes:
http://bonsfluidos.abril.com.br/livre/edicoes/0110/03/03.shtml
http://www.minhavida.com.br/conteudo/10354-Inclua-a-tapioca-no-seu-cardapio-sem-escapar-da-dieta.htm

segunda-feira, 3 de maio de 2010

CHOCOLATE: a justificativa para desejá-lo é realmente verdadeira???

Oi gentemmmmmmmmm!!! Tudo bem???? Esse final de semana estava passeando no Rio de Janeiro, com direito à muito sol, calor, caminhadas enormes por Copacabana, Ipanema, Leme, Barra da Tijuca, com direito é claro à água de côco e esses sorvetes de iogurte que me matam!!! Como são bons, afeeee!!! E lá no Rio tem várias franquias diferentes, tinha até o YogoAlex, numa portinha na Av. Nossa Senhora de Copacabana... tem que se aproveitar as oportunidades, não é mesmo???? Hahahahaha!!!! Mas prometo que esse post sobre os sorvetes de iogurte eu faço em breve!!!
Bom, lógico que minha viagem ao Rio teve até biscoito de polvilho Globo (lógico, ir pro Rio e não comer Globo não dá!!!). Mas sabe, nessa viagem eu mal e mal tomei um leite com achocolatado pela manhã... e eu nem lembrei que chocolate existia!!! Mas para algumas pessoas, o chocolatinho faz parte integrante da vida e sem ele a pessoa entra em síndrome de abstinência... mas será mesmo????

No site http://www.nutritotal.com.br/ foi colocada uma matéria sobre o chocolate... reproduzo e deixo comentários pertinentes (e infelizes) em negrito!!!!

É fato que comer chocolate produz uma sensação de bem-estar incomparável com nenhum outro doce (será mesmo??? Poxa, para quem ama uma torta de limão, um pavê de abacaxi, a sensação não seria a mesma??? Questiono muito essa afirmação...). Muitas vezes o chocolate é visto como uma válvula de escape, um alívio, ou até uma compensação (ahhhh, isso é verdade verdadeira!!! Quantas mulheres de coração partido não partem para uma barrinha de chocolate??? Ou vão ao cinema ver filmes românticos com uma barrinha de chocolates??? É, a válvula de escape existe e eu percebo muuuito isso!!).
Mas todas essas motivações são suficientes para o seu consumo exagerado?
O chocolate é um alimento com alto teor de gordura (incluindo aí a gordura saturada!!!) e de alta densidade energética (poxa, uma barrinha pequena tem quase o mesmo valor calórico que um pãozinho, gente!!!). Sendo assim, deve ser consumido com muita moderação, especialmente se a intenção é manter uma dieta equilibrada (sem nazismos, porém sem extrapolar!!! Se eu comer uma barrinha de chocolate pequena todos os dias, vai totalizar aproximadamente 46720 calorias/ano!!! Ééééé, a rapadura é doce, mas não é mole não!!! Ou melhor dizendo: o chocolate é doce e derrete na boca mas o resultado não é meio amargo não.... (afe, paródia horrorosa!).   
Se consumido em excesso, pode contribuir para o aumento do peso e para complicações cardiovasculares”, alerta a nutricionista e consultora do departamento de nutrição da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade (ABESO), Mariana Del Bosco. >>> é amiga nutri, arrasou nas considerações! 
Entretanto, alguns ingredientes do chocolate, especialmente do tipo amargo, podem ser destacados como benéficos. O bom chocolate, produzido com manteiga de cacau e contendo 60% de cacau sólido, no mínimo, é tão delicioso, forte e caro, que pequenas quantidades são suficientes para satisfazer a vontade de comê-lo. Poxa, temos vários exemplos gostosíssimos de chocolate amargo, como o chocolate amargo da Kopenhagen, Hershey’s Dark, Talento Intense com Amêndoas, Dark & Soft Lacta, Nestlé Classic Zero)... é só querer fazer com que o chocolate te traga benefícios e não excesso de peso!!!!
Quanto maior o teor de cacau, maior a quantidade de flavonóides, como a catequina, por exemplo, que tem uma importante ação antioxidante e poder de combater os radicais livres. Dessa forma, previnem o envelhecimento e conferem proteção cardiovascular. >>> viu??? Chocolate AMARGO!

Uma teoria bem comum que justifica o consumo exagerado do chocolate diz que aumenta os níveis de serotonina, hormônio responsável por melhora no humor e sensação de bem-estar. Isso por que a ingestão de carboidratos aumentaria a quantidade de triptofano, precursor da substância no cérebro.
“A verdade é que carboidratos com alto índice glicêmico são mais propensos a promover a síntese da serotonina e de seus consequentes benefícios. Contudo, o chocolate contém proteínas e gorduras que reduzem seu índice glicêmico em relação aos outros doces”, explica Mariana. >>> pois é, existem algumas combinações de alimentos menos calóricas, mais saudáveis e fantásticas para dar uma controlada nessa vontade louca de comer doces e melhorar a questão do bem-estar....  

Chocaholic
Termo utilizado frequentemente, chocaholic, ou chocólatra, indica a necessidade de alguns indivíduos de consumir o chocolate ou algum alimento que tenha o produto em sua composição. O ideal, e até mesmo necessário, é permitir que estas pessoas incluam pequenas doses diárias ou estipulem uma frequência semanal para o consumo. >> isso significa 3 a 4 quadradinhos no máximo ou 01 bombonzinho, por exemplo, sempre tentando-se optar por chocolates com menos teor de açúcar e gordura e teores mais elevados de cacau.
Diversos autores de pesquisas estimam que 40% das mulheres apresentam um comportamento chocaholic e, deste total, a grande maioria não satisfaz esta necessidade com qualquer outra substância que não seja o próprio chocolate.
“Acredita-se que o consumo de chocolate pelas mulheres possa ser modulado pelas flutuações hormonais. Na fase pré-menstrual, com a alteração nos níveis de estrógeno e progesterona, parece haver um maior consumo de doces e gorduras”, comenta a nutricionista. Algumas evidências sugerem que os níveis de serotonina estão mais baixos no período que antecede a menstruação, o que levaria a maior busca de doces e alimentos palatáveis.>>> realmente é o que a gente encontra no consultório com bastante frequência... na TPM a vontade algumas vezes é incontrolável! Por isso que atividade física, disciplina ajudam também, juntamente com a escolha de um chocolate menos calórico.
Minhas dicas foram dadas!!! Nada como ter uma alimentação equilibrada, não ter cabeça vazia (que é oficina do diabo) e manter o coração ocupado!

Fontes:
Associação Brasileira da Indústria de Chocolate, Cacau, Balas e Derivados – ABICAB. Disponível em http://www.abicab.org.br. Acessado em 12/04/2010.

Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica – ABESO. Disponível em http://www.abeso.org.br. Acessado em 09/04/2010