sábado, 27 de março de 2010

Desabafo de uma Jornalista Obesa

Oie!! Pessoal, a semana está terminando!!!! Estou tão cansada, com tanta coisa na cabeça!!! Mas nada como navegar pela Net, ver novidades, distrair um pouco...
Achei esse quase "depoimento" de Harriet Brown, que  leciona jornalismo em Syracuse, New York. Obesa, ela coloca em pauta a discussão PRECONCEITO contra o indivíduo obeso.... realmente, pessoas como eu, que trabalham com obesidade, tentam entrar mais profundamente nas questões psicológicas dos pacientes obesos. Pacientes que emagrecem com o tratamento clínico ou com o tratamento cirúrgico percebem na pele o quanto as demais pessoas tratam magros e obesos de maneiras diferentes. Já ouvi isso de pacientes e eles ficam ainda mais revoltados, pois percebem as diferenças entre "o ser obeso" e "o ser magro". A felicidade algumas vezes dá lugar à essa indignação e revolta, pois o passado foi dolorido e percebe-se que o preconceito está na cabeça e nas atitudes daqueles que nunca sofreram tal situação. 
As questões que obesos são preguiçosos, incompetentes, sem atitude e sem falta de vontade é um absurdo e ainda dominam a cabeça de muita gente. Não podemos NUNCA esquecer que a OBESIDADE é MULTIFATORIAL! Ou seja: não é só apenas uma questão de comer muito ou não fazer atividades físicas. As questões familiares, psicológicas, genéticas, ambientais também determinam a condição deste paciente obeso. Não podemos esquecer também que obesidade é doença (e não é preguiça) e deve ser tratada como tal, com a seriedade que ela merece!!!!! 
Vamos ao desabafo??? Modifiquei algumas palavras do texto original para dar mais sentido, mas deixo os destaques pessoais em negrito: 

"Como uma mulher cuja altura e peso me colocam na categoria de obesa na tabela de Índice de Massa Corporal, recentemente me encolhi quando Michelle Obama falou sobre colocar suas filhas de dieta. >>> desde quando as filhas de Michelle Obama são obesas???? Não sou uma pessoa que acompanha a vida de celebridades, porém até onde eu lembre, as duas filhas do presidente dos EUA estão bem, obrigada! Isso me chocou, mostrando o quanto a mídia implora por pessoas magrelas.
Embora tenha certeza de que as intenções da primeira-dama dos EUA são as melhores, também sei que seus comentários sobre obesidade infantil acrescentarão um fardo ainda maior estigma em ter excesso de peso nos Estados Unidos.
Em agosto do ano passado, Delos M. Cosgrove, cirurgião cardíaco e presidente da prestigiada Clínica Cleveland, disse a um colunista do New York Times que, se pudesse se escapar legalmente, nunca contrataria um obeso.
Ele provavelmente conseguiria se safar, na verdade, pois nenhuma legislação federal protege os direitos civis dos trabalhadores gordos, e apenas um estado, Michigan, proíbe a discriminação baseada no peso. (Justamente nos EUA, terra das oportunidades....
Cosgrove pode ser direto demais, mas está longe de estar sozinho. Posturas públicas sobre gordos nunca foram tão críticas; estigmatizar pessoas gordas se tornou não apenas aceitável mas, em alguns círculos, necessário. (Concordo que a obesidade é um problema de saúde pública e uma doença que merece atenção e tratamento, mas detonar quem está acima do peso é complicado...)
Ao longo dos últimos anos, os gordos se tornaram bodes expiatórios para todos os tipos de desgraças culturais. "Hoje, existe uma atmosfera onde não há problema em colocar a culpa de tudo no peso", disse Linda Bacon, pesquisadora nutricional e autora de "Health at Every Size: The Surprising Truth About Your Weight" (Saúde de Todos os Tamanhos: a Surpreendente Verdade Sobre sua Saúde, sem versão em português). (Ué... aqui no Brasil não temos uma comédia dramática, que conta a história de uma moça gordinha e bem resolvida, que passa a ser alvo de preconceito ao namorar um cara bonitão? Obesidade é tema central de peças de teatro de comédia!!!)  
Não é segredo que ser gordo raramente é bom para sua carreira. Brown experimentou isso em primeira mão. Alguns anos atrás, ela se candidatou a um emprego de redatora numa pequena organização sem fins lucrativos na região de Boston.
Depois de uma bem-sucedida entrevista por telefone, ela foi convidada a comparecer no escritório. "Assim que cumprimentei a entrevistadora, já sabia que ela não me contrataria", disse Brown. "Ela lançou um olhar de absoluto desdém. Durante a entrevista, ela nem mesmo olhava para mim, ficava olhando para o lado", diz. Brown, de 36 anos, trabalha hoje como reitora-assistente numa faculdade próxima a Chicago (o pior preconceito é o preconceito velado, onde ambas as partes sabem que existem, mas o indivíduo preconceituoso nega qualquer manifestação....).
Essa história é familiar para pessoas como Bill Fabrey, advogado que fundou, em 1969, a Associação Nacional para Acelerar a Aceitação dos Gordos nos Estados Unidos (olha o que é necessário fazer! Uma associação para ser aceito na sociedade!)
Os arquivos da organização, segundo ele, são repletos de histórias de pessoas que perderam empregos ou promoções por conta do peso, ou que nem chegaram a ser contratas.
Algumas das mais deliberadas discriminações a gordos vêm de profissionais da medicina. Rebecca Puhl, psicóloga clínica e diretora de pesquisa do Centro Rudd de Diretrizes Alimentares e Obesidade, em Yale, estudou o estigma da obesidade por mais de uma década.
Mais da metade dos 620 médicos entrevistados para um estudo descreviam pacientes obesos como "estranhos, sem atrativos, feios e improváveis de obedecer a um tratamento" (essa última é significativa, pois médicos que acham que os pacientes não seguirão suas instruções acabam tratando e prescrevendo de maneira diferente).
O preconceito é intensamente estressante. O estresse coloca o corpo em alerta total, o que eleva a pressão, o nível de açúcar, tudo que você precisa para combater ou fugir do predador.
Com o tempo, esses estresses crônicos levam a um quadro de pressão alta, diabetes e outras doenças, muitas delas associadas à obesidade.... ou seja: o obeso sofre duplamente: tanto psiquicamente como fisiologicamente por causa do preconceito presente na sociedade....
O obeso merece ser tratado sem preconceitos...
Fonte:
http://br.noticias.yahoo.com/s/24032010/84/mundo-preconceito-escancarado-relacao-obesos.html 

Um comentário:

  1. ai minha linda, sem comentarios no espaço de comentarios... Valeu pelo texto.

    ResponderExcluir