quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Diabetes Tipo 1, 2, três quartos, cinco doze avos...

Bom dia!!!!
Neste exato momento provavelmente eu devo estar me descabelando no meio de 80 crianças com diabetes no acampamento da ADJ!!! Quem quiser conhecer mais sobre a ADJ ou sobre o acampamento realizado anualmente para crianças de 5 a 15 anos com Diabetes Tipo 1, entre no site: http://www.adj.org.br/site/noticias_read.asp?id=863&tipo=7
O intuito deste acampamento é fazer com que a criança com Diabetes entenda sua doença, reconheça os sintomas e hipoglicemia e saiba tomar a melhor atitude SEM a ajuda dos pais! Isso inclui a auto aplicação de insulina, contagem de carboidratos, saber a importância de fazer o café da manhã, nunca ficar muito tempo sem comer, etc, etc, etc, etc... é uma semana muito intensa, cheia de atividades, brincadeiras, palestras, festas (a criançada piiiiira na festa do Havaí!)... por isso não ia dar pra escrever este post "de corpo presente" nesta semana!!! Então, como sou uma pessoa arrojada (rsrsssss), programei este post semana passada....
Mas afinal das contas... qual é a diferença entre o Diabetes do Tipo 1 e do Tipo 2??? Não é tudo Diabetes?
Calma que o pensamento não é bem assim.... antigamente a gente até falava que o DM1 era da criança e o Diabetes do Tipo 2 era do adulto... mas com a obesidade e os novos descobrimentos do mundo da ciência estamos vendo que a coisa não é tããããão simples assim!
Por exemplo... uma amiga minha nutricionista descobriu que tinha Diabetes tipo 1 ao sair da faculdade, no exame admissional de uma empresa!!! E olha que ela sempre foi magrinha!!! Ou seja, de diabetes infantil ela não tinha nada, hahahaha!!!!
O diabetes tipo 2, que antes era característico do adulto, atualmente avança sobre os mais jovens. O aumento de casos do diabetes tipo 2 na infância e na adolescência é decorrente da epidemia mundial de obesidade e da falta de atividade física!!!! Ou seja: não dá mais pra rotular uma coisa e a outra!!!!
O que é fato: em todos os tipos de diabetes, se a glicose não consegue entrar nas células e tecidos que necessitam dela, ela se acumula no sangue.
O que a gente precisa saber é como identificar um ou outro tipo clássico de diabetes!!!!
- Diabetes Tipo 1: as pessoas com diabetes tipo 1 (DM1) não produzem insulina (hormônio produzido pelo pâncreas que ajudar o corpo a usar ou armazenar a glicose dos alimentos). O tratamento é feito com injeções de insulina. Quando pouca ou nenhuma insulina vem do pâncreas, o corpo não consegue absorver a glicose do sangue; as células começam a "passar fome" e o nível de glicose no sangue fica constantemente alto. A solução então é injetar insulina subcutânea (embaixo da pele) para que a glicose possa ser utilizada como energia pelas células.
- Diabetes Tipo 2: As pessoas com diabetes tipo 2 (DM2) produzem insulina, mas, por algum motivo, as células em seus corpos são resistentes à ação da insulina (ou seja, ela não atua como deveria) ou não produzem insulina em quantidade suficiente para dar conta de toda a glicose ser utilizada pelas células do corpo. O Diabetes Tipo 2 deve ser levado a sério, embora seus sintomas possam permanecer desapercebidos por muito tempo. Por isso que fazer exames de rotina periodicamente é essencial.
O que a gente não pode esquecer é que existem outros subtipos de diabetes (ééééé) que são estudados pela comunidade científica:
- Diabetes Gestacional: acomete subitamente mulheres não-diabéticas que engravidam. No Diabetes Gestacional, a mulher desenvolve o a doença somente durante a gestação pois produz uma quantidade insuficiente de insulina para ela e o feto que está se desenvolvendo. Ao término da gestação, a mulher volta ao seu estado normal de produção de insulina. Muitas vezes isso ocorre porque neste período, a placenta produz substâncias que bloqueiam a ação da insulina, o que pode provocar a elevação da glicemia (açúcar no sangue).
- Diabetes tipo Mody (sigla em inglês que resume a expressão: Maturity-Onset Diabetes of the Young): é um subtipo do Diabetes Mellitus, caracterizado por manifestação em geral abaixo dos 25 anos de idade. Corresponde a um defeito primário na secreção da insulina. Tem relação com genes e para o paciente ser identificado com diabetes do tipo Mody, é necessário que pelo menos 3 gerações da família tenham sido atingidas pelo diabetes.
- Diabetes tipo LADA (sigla em inglês para diabetes auto-imune latente do adulto ou Latent Autoimune Diabetes’s Adult): O diagnóstico do Diabetes tipo LADA deve ser feito para pacientes, em geral, entre 35 e 60 anos, magro e com cetose (ocorre quando o fígado converte gordura em ácidos graxos e corpos cetônicos, que são usados pelo corpo como energia). O LADA é um surgimento tardio da Diabetes Mellitus do tipo 1 e atinge de 2 a 12% dos casos de Diabetes, ou seja, 1,4 milhão de pacientes no Brasil.
Existem ainda outros tipos de diabetes, mas estes são bem específicos e complicados de se discutir. Mas o que importa é saber que o diabetes tipo 1 pode aparecer mais tarde e que o tipo 2, mais cedo.
E me desejem booooa sorte nessa semana!!!!!!!
Fontes: