quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Muito cuidado com os shakes para perda de peso!!!

Oi gente!!!
Vira e mexe chega paciente no consultório perguntando se pode tomar os famigerados shakes para emagrecer em substituição ao almoço ou jantar... sou um pouco chata em relação à isso, prefiro outros tipos de estratégias para perda de peso, mas é sempre bom saber que esse tipo de produto não substitui de uma maneira adequada uma refeição sólida e balanceada!
Navegando pela Net, achei essa matéria e realmente é muito interessante toda a colocação feita em relação à esses produtos; deixo meus comentários em vermelho:
"Proteste constata desequilíbrio nutricional em shakes para emagrecer
Tomar shakes para substituir refeições e emagrecer pode ser perigoso, indica avaliação da Proteste, Associação Brasileira de Defesa do Consumidor. De cinco produtos testados, nenhum possui equilíbrio nutricional suficiente.
Os shakes testados foram Bio Slim, Diet Shake, Diet Way, Herbalife e In Natura no sabor chocolate. Praticamente todos fornecem carboidratos e proteínas demais e gordura de menos (esse tipo de conduta acaba sendo clássica; pra dar mais saciedade, nada como colocar muuuuita proteína!!! E como ainda tem gente que acha que a gordura é sempre do mal e nunca serve pra nada, acabam reduzindo a bichinha desses produtos) . Herbalife e In Natura têm taxas de carboidratos dentro dos parâmetros ideais.
A associação não recomenda o consumo frequente de shakes sem orientação adequada de um especialista, pois o emagrecimento rápido poderá vir à custa de perda de músculos e água, não de gordura (perder peso muito rápido com dietas malucas pode até dar resultados em curto prazo, mas sem uma orientação adequada dificilmente esta perda de peso se manterá; fraqueza, queda de cabelo, diminuição da imunidade - aparece a gripe, dor de garganta, falta de produtividade são acompanhantes dessas dietas doidas sem o mínimo equilíbrio nutricional).
Apesar de os produtos terem quantidades consideradas legais de proteínas, o órgão acredita que a quantidade protéic não deva ultrapassar 10 a 15% do valor energético do produto. Em média, os shakes apresentam 32% de proteína.
A gordura, por sua vez, aparece em baixíssima quantidade, mas o corpo precisa de lipídios para absorver vitaminas e sintetizar hormônios, diz a entidade. Já com relação às fibras, para substituir uma grande refeição, os shakes deveriam ter cerca de 10 gramas de fibra por porção, porém nenhum deles chega nem perto deste valor (hello???? Fibra enche barriga e ajuda a funcionar o intestino!!! Como vcs shakes não possuem uma quantidade bacana de fibras?!?!?!?!?).
Uma dieta saudável também precisa de carboidratos, cerca de 50 a 60%, de acordo com a Proteste, mas três dos shakes fornecem mais do que isso, apesar de possuírem valor energético baixo - de 190 kcal (Herbalife) a 230 kcal (Diet Shake) – já misturados com leite (bizarro né? Arrancam a gordura e colocam mais carboidrato, pois é mais barato....)
A Associação alerta ainda que Diet Shake e Herbalife não têm data de fabricação (absurdo!) sendo que o segundo também não informa a validade após aberto. O shake DreamWeek – Light Shake não tem registro no Ministério da Saúde (obrigatório em alimentos para controle de peso). Assim, não se enquadra na portaria que regula os shakes e não foi testado (como existem produtos conhecidos e comercializados SEM o devido registro???? Por isso que não podemos nos deixar levar por propagandas maravilhosas e resultados milagrosos...)"

Fonte:
http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/ultnot/2010/02/01/proteste-constata-desequilibrio-nutricional-em-shakes-para-emagrecer.jhtm

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Sibutramina: proibida na Europa

Gente, bom dia!!!
Que calor maravilhoso hein??? Só espero que o final da tarde não seja aquele dilúvio como está sendo ultimamente aqui em São Paulo, né???
O acampamento da ADJ - Unifesp foi fantástico!!! Realmente vivenciar a contagem de carboidratos com as crianças, monitores e profissionais com diabetes tipo 1 foi uma experiência excepcional! Como lá eu tinha um acesso rápido aos e-mails e à internet de maneira geral, acabei sabendo apenas ontem (segunda feira) sobre a proibição da "sibutra" na Europa... e isso é um tremendo BABADO!!!
Como eu atendo muita obesidade clínica e cirúrgica, tanto na Unifesp como nos consultórios, eu vejo muuuuitos pacientes tomando sibutramina para auxiliar na perda de peso.... e eu acredito que a proibição seja uma tendência mundial!!!! Vale lembrar: o Brasil é o país líder no consumo de remédios para perder peso....
No entanto, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que ainda não é certo que a proibição da sibutramina chegará ao Brasil. As autoridades brasileiras primeiro vão analisar o estudo que embasou a decisão da Agência Européia de Medicamentos (Emea) para decidir qual medida sanitária será implantada no País.
No Brasil, apenas a sibutramina anidra teve sua comercialização proibida pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), por não apresentar estudos que comprovem sua eficácia; atualmente temos apenas o cloridrato monoidratado de sibutramina, mas isso não é de agora!
A sibutramina foi banida das farmácias européias com a alegação de que aumenta os problemas cardíacos nos usuários.

A Emea utilizou as conclusões do estudo chamado de Sibutramine Cardiovascular Outcomes Trial (Scout) para justificar a proibição. Durante seis anos, 10 mil usuários de sibutramina foram acompanhados e os autores afirmam ter diagnosticado aumento de infartos e derrames entre eles. Os riscos do produto, vedete da indústria farmacêutica para o emagrecimento, foram classificados como maiores do que os
benefícios.
Relatórios norte-americanos apontaram que 11,4% dos usuários de sibutramina morreram ou tiveram paradas cardíacas severas.
Já o posicionamento da ABESO (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica) sobre o estudo Scout se baseia no fato de que esse estudo foi feito com indivíduos acima de 55 anos e com alto risco cardiovascular. Por isso, as conclusões deste estudo não se aplicam a todos os outros indivíduos obesos mais jovens e que precisam emagrecer.
A Anvisa promete para fevereiro a divulgação de um parecer sobre o assunto, após análise mais detalhada de uma câmara técnica. A partir daí, fará sua escolha: mudar a bula do medicamento, criar um melhor controle sobre a emissão de receitas ou, em último caso, decidir pela proibição.
Vamos aguardar.... o que é importante saber é, caso a sibutramina seja realmente proibida no Brasil, nossos pacientes precisarão encontrar rapidamente medidas alternativas para auxiliar no controle da fome/aumentar a saciedade, que juntamente com um plano alimentar adequado, podem sim combater de maneira eficar o excesso de peso.
Fontes: