quarta-feira, 30 de novembro de 2011

ALERGIA À PROTEÍNA DO LEITE DE VACA (APLV): SOCORRO, O QUE É ISSO????? – Parte I

Boa noiteeeeeeeeee!!!!!!!
Juro pra vocês que Alergia à Proteína do Leite de Vaca (ou APLV) não é um bicho de sete cabeças!!! Mas é um assunto meeeega importante, extenso e que precisa ser divulgado e discutido com bastante calma E seriedade!!!

Com certeza tem pessoas que eu conheço vão curtir esse post! Estou escrevendo ele com o MAIOR PRAZER!!! Só pra citar alguns... “Dr. Estevão”, Wládia, Sávio, Dani, Cintia...

Gente, muitas pessoas se enrolam pra falar sobre Alergia à Proteína do Leite de Vaca!!! Tem gente que mistura com intolerância à lactose e o que vira é Alergia à Lactose... afeeee, dói até os meus ouvidos!!!

A APLV obviamente é uma alergia alimentar; segundo a Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia (ASBAI), a alergia alimentar (AA) é uma reação adversa a um determinado alimento. Envolve um mecanismo imunológico e tem manifestações com sintomas que podem surgir na pele, no trato gastrintestinal ou ainda no trato respiratório. As reações podem ser leves, como por exemplo o aparecimento de uma coceira nos lábios até reações mais graves que podem comprometer vários órgãos, como esôfago, estômago ou intestino, resultado no caso das crianças mais jovens em desnutrição ou ganho de peso insuficiente.

Quando damos uma “lidinha” no Consenso Brasileiro sobre Alergia (de 2007), a alergia alimentar é mais comum nas crianças. Estima-se que cerca de 6% das crianças menores de três anos desenvolvam algum tipo de alergia.

O que eu estou querendo dizer é que as alergias alimentares possuem sintomas importantes e aparentemente a prevalência das mesmas está aumentando. Cheguei a ler um estudo do Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos EUA mostrou que praticamente na última década aumentou em 18% o número de crianças e adolescentes com algum tipo de alergia a alimentos!!!

E PORQUÊ??? Bão, tem várias teorias que tentam explicar o real motivo deste aumento... uma das teorias (que eu particularmente gosto bastante) é algo como “teoria higiênica”: a falta de contato com a sujeira, a natureza, o uso precoce e até excessivo de antibióticos fazem com que as crianças não se exponham a uma série de substâncias que possam estimular a imunidade. Ou seja: crianças que comem terra e formigas, colocam a mão suja na boca, engatinham no parquinho são menos susceptíveis àquelas que toda vez que cai a chupeta no chão, a mãe ferve a bichinha e passa álcool em gel nas mãos da criança!

Outra teoria é a “teoria da industrialização-e-mãe-que-trabalha”: as crianças hoje começam cada vez mais cedo a comer alimentos industrializados, que podem provocar alergia, ainda mais se tiverem ingredientes potencialmente alergênicos, como é o caso das nozes....

De uma forma geral, as alergias alimentares são designadas por reações de hipersensibilidade; o sistema imunológico do nosso organismo reage a determinados alimentos como se fossem ameaçadores. Para se defenderem destes “invasores”, as células do sistema imunológico produzem os tais "anticorpos". Infelizmente, esta reação instiga algumas células especializadas, que também podem produzir substâncias (como os mediadores vasoativos) e causar as diversas manifestações clínicas da alergia. Em uma frase básica: a alergia alimentar é uma resposta exacerbada do nosso corpo a uma determinada substância presente nos alimentos.

E que respostas são essas???? Poxa, uma criança com APLV pode ter diversas manifestações diferentes, como é o caso de dermatite atópica, urticária, vômitos, diarréia, gastrite eosinofílica (gastrite onde temos em conjunto um processo inflamatório das células eosinofílicas), proctite (evacuações com muco e sangue), asma, rinite...

Os oito alimentos mais alergênicos são: leite de vaca, soja, ovo, trigo, peixe, frutos do mar, amendoim e castanhas. Para os bebês que não têm leite materno disponível, a APLV é a mais complicada de ser tratada, uma vez que o leite é o principal alimento (quando não é o único) nesta fase da vida, tendo um papel fundamental no crescimento e desenvolvimento da criança. Vocês sabiam que aproximadamente uma criança em cada 20 possuem APLV??? É gente pra caramba!!! Por isso que precisamos sempre de informação consistente sobre o tema!

E essa intolerância à lactose... é por acaso uma reação alérgica????

NÃO, NÃO, NÃO!!! Pessoal, a intolerância à lactose é uma desordem onde a ocorre ausência ou diminuição da produção da enzima lactase no intestino (essa enzima “digere” a lactose, o açúcar do leite para ser absorvido). Dessa forma, a falta de digestão ou digestão parcial da lactose pode resultar em sintomas intestinais, como distensão abdominal (barriga inchada), presença de gases e diarréia. Esta intolerância é dose dependente: ou seja: alguns indivíduos podem tolerar pequenos volumes de leite por dia ou até mesmo tomar os leites com baixos teores de lactose. O que eu estou querendo dizer é que a intolerância à lactose depende de mecanismos que não envolvem anticorpos: temos um “problema” de digestão da lactose, que é um carboidrato!

Já o paciente com APLV precisa excluir o leite da sua alimentação para que não ocorram as reações alérgicas! De nada adianta tomar leite com baixos teores de lactose!!! E quando a gente fala de leite, não é só o leite puro não! Todas as preparações que possuem leite na composição ou produtos industrializados precisam ser excluídos da dieta. Devemos sempre ler com bastante atenção a relação de ingredientes dos alimentos industrializados antes de comprar ou dar para as crianças consumirem. Ou seja: chantilly, queijo e manteiga, possuem leite e apenas uma pequenina quantidade é suficiente para causar a reação na criança. Até os frios, como presunto e mortadela, que são fatiados nas mesmas máquinas que os queijos, podem sofrer a tal da contaminação cruzada e trazer a reação para a criança.

Nossa, tem tanta informação sobre alergia e mais especificamente sobre APLV que esse post continua em uma “PARTE II”. Mas temos que ter em mente: acompanhamento médico e atenção à alimentação da criança é básico e essencial....

Fontes:

16 comentários:

  1. nossa eu tomo muito leite de vaca mas muito mesmo e começou a aparecer umas manchinhas no meu peito sera que tem alguma coisa haver com o leite que ando tomando em exeço

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    A APLV descrita na matéria ocorre nos primeiros meses de vida, com o contato direto ou indireto com o leite de vaca! Provavelmente o que você possui alguma outra reação que não a descrita no post acima! O melhor mesmo é você buscar auxílio de um dermatologista!

    ResponderExcluir
  3. Olá Amanda.
    Estou com meu bebê de 1 mês e meio com os sintomas de APLV. Como estou amamentando a pediatra pediu para que eu retirasse da minha alimentação Leite e Derivados, porém tudo que vejo tem traços de leite, ou "pode conter traços de leite", até o biscoito que fala de água e sal tem, e essa retirada está praticamente me proibindo de comer tudo... Por isso gostaria de ir a uma nutricionista especialista em APLV para me orientar, coisas como por exemplo substituição da manteiga ou margarina (Uma vez que contenha leite), enfim. Sou do RJ, e gostaria de saber se teria uma indicação, ou se pode me orientar como proceder nesse inicio da dieta alimentar...
    Estou perdida, desesperada e com medo de cortar tanto a alimentação que possa comprometer meu leite, já que qualquer "traço de leite" em qualquer coisa que coma pode por a dieta por água abaixo e não ver um resultado significativo.
    Poderia me ajudar???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Amanda, a margarina becel do pote azul pode consumir. Pao australiano da wickbold tb, tapioca tb ! isso já "garante" o café da manha.. alem da possibilidade de fazer pao caseiro sem leite.

      Excluir
    2. Um grupo voltado para mães que amamentam, no Facebook, é o Meu filho é alérgico a leite. Como a rotulagem de traços não é obrigatória, é necessário entrar em contato com os fabricantes antes de consumir, e no grupo essa informação, entre tantas outras baseadas no Consenso, é partilhada.

      Excluir
  4. Olá, boa tarde! Td bem? Infelizmente não conheço uma nutricionista especializada em APLV no RJ, mas existe um site que pode te ajudar e muito: www.alergiaaoleitedevaca.com.br
    Neste site dê uma checada na parte "De Olho no Rótulo", pois lá há dicas muito boas para escolhermos os produtos para fazer a dieta de exclusão. Pra te ajudar: margarina sem leite é a Becel! No site vc poderá entrar em contato com outras mães e com isso trocar idéias e experiências da dieta de exclusão. Ela não é muito fácil de se fazer e muitas vezes é indicado um suplemento de cálcio para você. Qualquer novidade, entre em contato! Boa sorte! Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde...
    tenho uma bebé com um mês e 8 dias e tudo indica que tem APLV...
    Quando a minha bebé nasceu, depois de sair do hospital eu fiquei adoentada e com febre e fiquei praticamente sem leite... o que provocou na minha filha perda de peso. Tive de iniciar o Leite em pó quando ela tinha apenas 12 dias. Passada uma semana de tomar o leite em pó começou a aparecer sangue no cocó e fui com ela ao pediatra. Mudamos de leite, mas passadoa uma semana tudo continuava igual...
    Desde à 15 dias para cá que está a beber o leite aptamil pepti... e melhorou muito, já havia dias que não aparecia sangue nenhum no cóco, mas hoje apareceu em maior quantidade e com uma ranhoca alaranjada....
    O que devo fazer? Continuo com o leite?? Quanto tempo leva até que fique tudo normalizado?

    ResponderExcluir
  6. Sarareias, por questões éticas não respondi seu post anteriormente, pois não posso interferir na prescrição de outro colega profissional da saúde. Sua bebê melhorou ou ainda está em uso de Aptamil Pepti? Abraços.

    ResponderExcluir
  7. oi meu filho de um anoo e cinco meses tem APLV diagnosticado a meses de quatro meses e ele nao esta se desenvolvendo ele tem 73cm e pesa menos de 9 quilos to com muito medo de que ele nao cresça o tamanho normal isso pode acontecer? ele nao come nada e so em chegar perto do leite ele vomita se ele tocar no leite ele incha ao invez dele melhor sinto que ele esta ficando pior to com muito medo me ajude

    ResponderExcluir
  8. oi meu filho tem um ano e cinco meses e foi diagnosticado a pouco tempo que ele tem APLV ele e uma criança muito miuda tem apenas 73cm e pesa menos de 9 quilos a alergia dele e considera muito forte pois nao precisa ingerir nada com leite so em ter contato com o leite ele incha da coceira etc a noite e dorme muito mal acorda cerca de 10vezes a noite eu o amamento ainda mas nao como nada que tenha leite ou derivado do leite faço a dieta rigida mas ele ainda continua a nao ganhar peso a gastro que começou o tratamento nao deu nenhum tipo dele para ele ainda pois como amamento ela acho melhor ele ficar mais um tempo no peito.
    so que ele so tem consulta agendada em maio e gostaria de saber se meu filho ficara com alguma sequela tipo retardo no crescimento obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sthepanie... é muito complicado mostrar uma opinião sobre APLV e aleitamento materno!! Eu super concordo e sou muito a favor do aleitamento, pois é o melhor alimento para o crescimento e desenvolvimento de uma criança! Mas pelo que vc me conta seu filho é bem alérgico e muitas vezes temos que pesar o custo X benefício de uma fórmula para APLV X Aleitamento Materno! Não ganhar peso é um indício importante que o tratamento atual não está sendo 100% efetivo! Não é fácil olhar o rótulo de todos os alimentos, entrar em contato com todas as empresas e saber se não há contaminação cruzada e tudo mais.... Procure seu médico e discuta as opções para seu filho!! Retardo no ganho de peso não é um sinal positivo! Abraços!

      Excluir
  9. OI é possível um bebê de cinco meses, que antes não tinha nenhum sintoma e só aos cinco meses aparecer, eu tomo muito leite de vaca mas meu bebê não ele só toma o materno, é possível ?

    ResponderExcluir
  10. oi , meu bebê tem cinco meses e não tinha nenhum sintoma, mas está com o corpinho coberto de manchas vermelhas arredondadas e em alto relevo,é possível ter desenvolvido alergia ao leite só agora? ele só toma o leite materno , mas eu tomo muito leite de vaca acho que sou dependente do leite, é possível? levei ao pediatra e não sabemos o porque da alergia , sera o meu leite? por causa do leite que eu tomo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Josélia, não posso afirmar nada, pois não fiz a sua avaliação detalhada juntamente com um médico, porém sabemos que a proteína do leite da vaca pode passar para o leite materno e assim trazer um cenário de alergia à criança. Não se pode descartar alergias à sabão, sabonete, perfumes, hidratantes e outros compostos que podem não fazer parte da alimentação da criança.

      Excluir
  11. Ola tenho um filho de 3 anos e tem APLV e estou com dificuldades pra lidar com isso.Ele pode tomar leite de cabra e soja.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, td bem? Em relação ao consumo de leite de soja, isso precisa ser melhor avaliado com um profissional em consulta! Já o leite de cabra tem uma composição mto semelhante ao leite da vaca, pois ambos os animais são mamíferos. Por conta disso, não se recomenda o uso de leite de cabra em pacientes com APLV. Abraços!

      Excluir